Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA confirmam linha estratégica de 'desmembramento da Síria', diz analista

Os EUA declararam que não querem restaurar as regiões na Síria que estão sob o controle de Damasco. O especialista Vladimir Fitin explica na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik o que busca Washington.
Sputnik

Os EUA não querem ajudar na reconstrução das regiões na Síria que ficam sob o controle do presidente sírio Bashar Assad, declarou um alto funcionário dos EUA após o primeiro dia do encontro dos ministros das Relações Exteriores do G7.


Em janeiro, o Departamento de Estado dos EUA afirmou que Washington não iria ajudar a Rússia, o Irã e Damasco oficial na restauração do país, enquanto a "transformação política" da Síria não se realizasse. Segundo declarou o assistente adjunto do secretário de Estado dos EUA para o Médio Oriente, David Satterfield, a condição da ajuda é a reforma constitucional e eleições sob os auspícios da ONU.

O analista do Instituto dos Estudos Estratégicos da Rússia, Vladimir Fitin, na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik comentou a decla…

Milícias xiitas participarão da operação do exército iraquiano contra Daesh em Tal Afar

As milícias xiitas vão participar da libertação da cidade iraquiana de Tal Afar contra os terroristas do Daesh, apesar das abjeções de Ancara, disse à RIA Novosti o porta-voz do comando unificado de operações conjuntas das instituições de defesa do Iraque, o general de brigada Yahya Rasul.


Sputnik


“As milícias participarão dos combates e serão responsáveis por uma importante frente da ofensiva. Serão as responsáveis por cortar as rotas de abastecimento e de comunicações do Daesh entre Mossul e Síria”, informou o militar. 


Combatentes das milícias xiitas
Combatente da milícia xiita © AP Photo

A população de Tal Afar, no norte do Iraque e a 50 quilômetros a oeste de Mossul, é composta, de modo majoritário, por turcomanos iraquianos. Mais cedo, o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, anunciou planos de aumentar a presença militar na fronteira com o Iraque. Ele ameaçou uma resposta militar, no caso das milícias xiitas participarem dos combates na cidade. 


“Não nos compete o que dizem na Turquia. Temos um governo iraquiano e o comandante do exército, assim como as milícias, cumprem as suas ordens”, disse Rasul.

Postar um comentário