Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Única mulher a bordo do submarino argentino desaparecido é oficial pioneira

Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é a 'primeira submarinista' da Argentina. O ARA San Juan desapareceu com 44 tripulantes no Atlântico Sul.
G1

Única mulher no submarino militar argentino desaparecido com 44 tripulantes no Atlântico Sul, Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é descrita pela imprensa local como primeira oficial submarinista do país e da América do Sul. Ela ocupa o cargo de chefe de armas do ARA San Juan, que perdeu contato com a terra na sexta-feira (17).

Eliana nasceu em Oberá, na província de Misiones, no nordeste da Argentina, e só conheceu o mar aos 21 anos de idade, destaca o perfil do jornal "Clarín". Após se formar no ensino médio, ela se matriculou na Universidade de Misiones para fazer faculdade de Engenharia Industrial.

Duas tragédias familiares levaram Eliana a desistir do curso: a morte de um irmão, em um acidente de trânsito, e a morte da mãe, em decorrência de um problema cardíaco.

Em um perfil publicado em 2015 na revista "Viva", que …

Militar eslovaco critica realização dos exercícios militares Slovak Shield 2016

As manobras militares Slovak Shield 2016, realizadas entre 6 e 13 de outubro na Eslováquia, contaram com a participação dos países do Grupo de Visegrád (do qual fazem parte a Eslováquia, Polônia, República Tcheca e Hungria), EUA e Alemanha.


Sputnik


De acordo com o comunicado de imprensa, publicado na página oficial do Exército dos EUA, no âmbito dos exercícios que envolveram mais de 2 mil militares, foram realizadas práticas com armas, operações de demolição e manobras táticas com os parceiros da coalizão. 


Bandeiras da Eslováquia e da OTAN
Bandeiras da OTAN e Eslováquia © AFP 2016/ SAMUEL KUBANI

Durante a cerimônia de encerramento dos exercícios, o diretor de Slovak Shield 2016, vice-chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas da República da Eslováquia, tenente-general Pavel Macko, informou que o desempenho das forças conjuntas durante as manobras demonstrou o poder e a produtividade da aliança. 

Porém, nem todos compartilham a mesma opinião. Assim, Jozef Zarnovican, presidente da Associação dos militares eslovacos, criticou fortemente os exercícios em entrevista à Sputnik República Tcheca.

Segundo ele, o importante não é o fato da realização dos exercícios, mas o objetivo buscado pelos participantes. As manobras militares Slovak Shield 2016 tinham como meta defender a integridade territorial de um dos aliados da OTAN e se preparar para possíveis ações militares do inimigo concreto. Na opinião dele, "todos que não são a favor da democracia ocidental contemporânea e das ideias perversas do globalismo poderão se tornar inimigos".

"Nessas manobras foi gasta verba do orçamento do nosso pequeno país destinada ao Ministério da Defesa da Eslováquia, o que na realidade não traz benefício nenhum para o cidadão eslovaco", reclama Zarnovican. 


Segundo ele, seria mais sensato destinar este dinheiro à logística do exército eslovaco ou simplesmente à manutenção do funcionamento das Forças Armadas do país.


Postar um comentário