Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Como funcionam os mísseis de micro-ondas que os EUA podem usar em caso de ataque da Coreia do Norte

Nos arredores da cidade de Albuquerque, no Estado do Novo México, uma equipe de especialistas da Força Aérea americana desenvolve uma arma pouco tradicional, mas que poderia ter um objetivo estratégico: deter os mísseis nucleares da Coreia do Norte.
Lioman Lima | BBC Mundo

Não é um armamento qualquer. Trata-se de um tipo de arma eletromagnética que não é nociva para o ser humano e cuja base de funcionamento é a mesma tecnologia de um forno micro-ondas.


E, segundo diversos especialistas em assuntos militares consultados pela BBC Mundo, o serviço em espanhol da BBC, poderia ser uma alternativa para desativar as armas nucleares de Pyongyang de forma efetiva, sem gerar grandes prejuízos.

O "Projeto de mísseis avançados de micro-ondas de alta potência de interferência eletrônica" (Champ, na sigla em inglês) prepara, em essência, projéteis que emitem ondas de altíssima frequência, capazes de fritar sistemas eletrônicos.

"Tendo em conta o estado da tecnologia no mundo moderno, em q…

Ministro da Defesa de Israel promete destruir Hamas em caso de guerra na Faixa de Gaza

O chefe do Ministério da Defesa de Israel Avigdor Lieberman advertiu o movimento islâmico Hamas que a próxima guerra com Israel será a última para o grupo. 


Sputnik

Ao mesmo tempo, ele deixou claro que se opõe a uma confrontação armada.


Fumo de míssil lançado pelo Israel à Faixa de Gaza em represália ao ataque proveniente do enclave palestino, 5 de outubro de 2016
Fumaça de míssil lançado por Israel em direção à Faixa de Gaza em 5/10/2016

Nos últimos seis anos Israel realizou seis operações de larga escala na Faixa de Gaza, mas sempre se absteve de derrubar o regime islamista e de reocupar o enclave palestino que os israelenses abandonaram em 2005.

Liberman deu a entender que Israel "não pretende travar novas guerras contra os seus vizinhos na Faixa de Gaza ou na Cisjordânia, no Líbano ou na Síria", sobre o que ele falou ao jornal árabe AlQuds editado em Jerusalém Oriental. 


No entanto, Lieberman avisou que "no caso de o Hamas impor a Israel mais uma guerra, ela será a última" para o movimento. 

Se o Hamas desistir da confrontação armada com Israel, Lieberman promete à Faixa de Gaza investimentos nas zonas industriais, um porto marítimo e um aeroporto.

Anteriormente, em entrevista recente ao canal russo RTVi, o ministro da Defesa israelense frisou que os líderes do Hamas "têm um receio enorme e não querem quaisquer confrontos com Israel".

Ainda segundo Lieberman, os recentes ataques com mísseis provenientes da Faixa de Gaza foram da responsabilidade de pequenos grupos que se opõem ao Hamas e com partilham ideologia próxima do grupo terrorista Daesh (proibido na Rússia e em vários outros países).


Postar um comentário