Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil simula resgate de civis em área de conflito ou desastre natural (VÍDEO)

A Marinha do Brasil realizou entre os dias 6 e 14 de novembro a Operação Atlântico, na praia de Itaoca, no Espírito Santo. A simulação deste ano treinou os oficiais para casos em que houvesse resgate de civis em uma área de conflito armado ou que foram alvos de desastres naturais.
Sputnik

Era por volta de 5h40 do dia 10 de novembro, um sábado, ainda estava amanhecendo, quando o Almirante Paulo Martinho Zucaro, Comandante da Força de Fuzileiros da Esquadra, olhou e disse para a reportagem da Sputnik Brasil: "É guerra".


A declaração foi dada para explicar os motivos de se realizar um treinamento deste porte mesmo em condições extremamente desfavoráveis. A chuva era forte, as ondas na beira da praia atingiam 1,5 metros e os ventos chegaram a 20 km/h. O nível de dificuldade preocupava o alto comando, mas não foi um problema para os fuzileiros e marinheiros.

Antes do amanhecer, sete Carros Lagarta Anfíbios (CLAnf) chegaram à praia e deram início ao desembarque. Após eles chegarem foi…

Ministro da Defesa russo aponta falhas no equipamento militar

O Ministro de Defesa russo Sergei Shoigu afirmou que a operação da Força Aeroespacial ajudou a identificar uma série de falhas no equipamento militar do país, que posteriormente serão corrigidas. 

Sputnik

"Ao utilizar o equipamento militar na Síria foi encontrada uma série de falhas de construção e produção", disse o ministro da Defesa durante a cerimônia dedicada à entrega de novos equipamentos ao Exército, habitualmente realizada nesta data.
As Forças Aeroespaciais da Rússia na base aérea de Khmeimim na Síria.
© Sputnik/ Dmitriy Vinogradov
A operação da Força Aeroespacial russa começou em 30 de setembro do ano passado. Desde então, os militares russos têm avaliado os armamentos em situação real de combate.

No início de outubro, durante uma conferência técnico-militar, Shoigu falou sobre a experiência adquirida na operação: 
"Foi adquirida experiência prática de tiro de alta precisão de grande alcance a partir de navios e submarinos nas águas dos mares Cáspio e Mediterrâneo. Os aviões da aviação estratégica usaram pela primeira vez novos mísseis de cruzeiro X-101 com alcance de 4,5 mil quilômetros", afirmou o ministro. 
Ele também sublinhou que, em geral, os armamentos russos se mostraram eficazes e seguros nas "condições duras do deserto".
Postar um comentário

Postagens mais visitadas