Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha e Aeronáutica do Brasil auxiliam buscas a submarino argentino desaparecido, diz ministro

Segundo Raul Jungmann, três navios e um avião brasileiros já foram disponibilizados. Última vez que o submarino militar com 44 pessoas a bordo manteve contato com a base foi na quarta-feira (15).
Por G1, Brasília

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, publicou em seu perfil no Twitter neste sábado (18) que três navios da Marinha brasileira "já estão auxiliando" nas buscas a um submarino argentino que desapareceu com 44 tripulantes a bordo.

Ainda segundo o ministro, a Força Aérea Brasileira (FAB) disponibilizou um avião para também ajudar na procura pelo submarino e um segundo avião "será deslocado para apoiar as buscas do submarino argentino desaparecido" a partir deste domingo (19).

O submarino militar ARA San Juan manteve contato com a base pela última vez na manhã de quarta-feira (15), quando estava no sul do Mar Argentino, a 432 quilômetros da costa patagônica do país.

De acordo com a FAB, o primeiro avião disponibilizado pelo Brasil decolou, com 18 tripulantes, às 17…

Moscou nega participação em ataque a escola na Síria

Porta-voz dos Negócios Estrangeiros repudia 'guerra da informação' travada por Al Jazeera e The Independent.


Vassíli Krilov | Gazeta Russa

O Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia considera as acusações de participação da Rússia nos bombardeios contra uma escola na província síria de Idlib um ataque de informação, declarou a porta-voz da pasta, Maria Zakhárova. 


Maria Zakharova
Maria Zakhárova: "Rússia não tem nada a ver com essa tragédia horrível". Foto:Sergey Pyatakov/RIA Novosti

A agência da ONU para a infância (Unicef) declarou que pelo menos 22 crianças morreram na quarta-feira (26) em múltiplos ataques aéreos em um bairro da província rebelde de Idlib, no noroeste da Síria, onde se encontram duas escolas.

“Imediatamente, diversos meios de comunicação internacionais, incluindo o The Independent, a Al-Jazeera e outros veículos com a mesma atitude jornalística, iniciaram uma guerra de informações contra a Rússia, que culparam pela realização dos bombardeios”, declarou Zakhárova.

“A Rússia não tem nada a ver com essa tragédia horrível e exige a máxima atenção para ela e sua investigação imediata”, disse ainda a porta-voz.

Segundo Zakhárova, o Ministério da Defesa russo está estudando dados de controle independente e fará outra declaração oficial após o estudo.




Postar um comentário