Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares dos EUA prometem responder a possível ataque turco contra cidade síria de Manbij

Os militares norte-americanos prometeram responder a qualquer ataque contra a cidade síria de Manbij à luz de uma possível operação turca na área, afirmou o comandante do Conselho Militar de Manbij, que faz parte das Forças Democráticas da Síria (FDS), Ebu Adil.
Sputnik

Em entrevista à Sputnik Turquia, Ebu Adil comentou a resposta dos EUA às preocupações expressas pelos representantes do Conselho Militar de Manbij devido a um possível ataque contra a cidade síria por parte de Ancara.


"Há dois anos, em conjunto com as forças da coalizão liderada pelos EUA, nós limpamos Manbij do Daesh [organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países]. Desde então, na cidade se encontram forças da coalizão. Algum tempo atrás, nós falamos com os militares norte-americanos sobre um possível ataque da Turquia contra Manbij. Os militares dos EUA prometeram responder a qualquer ataque contra a cidade, de onde quer que ele provenha", afirmou o comandante do conselho.

Além disso, ele …

Navios da Marinha do Brasil iniciam viagem à Antártica

Indústria de Defesa e Segurança | Ministério da Defesa

A Marinha do Brasil está enviando dois navios hidroceanográficos à Antártica. A missão faz parte 35ª Operação Antártica (OPERANTAR XXXV), que tem por objetivo realizar apoio logístico aos Módulos Antárticos Emergenciais (MAE) da Estação Comandante Ferraz, além de colaborar com projetos de ciência e tecnologia. Nesta segunda-feira (10), às 10 horas, partiu do Arsenal de Marinha, no Rio de Janeiro, rumo ao continente gelado o Navio de Apoio Oceanográfico “Ary Rongel”. O segundo, o navio Polar “Almirante Maximiano”, partirá na sexta-feira (14). 


Os navios permanecerão na Antártica durante seis meses, retornando ao Brasil em abril de 2017. (Foto: Marinha)
Os navios permanecerão na Antártica durante seis meses, retornando ao Brasil em abril de 2017. (Foto: Marinha)

Os navios permanecerão na Antártica durante seis meses, retornando ao Brasil em abril de 2017. Durante este período, eles atuarão nas áreas de oceanografia, hidrografia, biologia, geologia, antropologia e meteorologia.

As atividades científicas envolvem profissionais de instituições de ensino e pesquisa de todo o País, que realizam observações de animais e coleta de amostras do solo e da água. As equipes utilizam os “Navios Antárticos” como plataforma para coleta de dados e apoio nas pesquisas de campo na região polar austral.

Os navios “Ary Rongel” e “Almirante Maximiano” são comandados pelo capitão de Mar e Guerra Nilo Gonçalves de Souza e pelo capitão de Mar e Guerra Carlos André Coronha Macedo, respectivamente, e farão uma primeira escala no porto de Rio Grande (RS). Também estão programadas escalas logísticas nos portos de Punta Arenas (Chile) e de Montevidéu (Uruguai).


Postar um comentário