Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa russa: avião Il-20 foi derrubado por mísseis sírios S-200

De acordo com o ministério russo, o sistema de defesa aérea sírio tentava atacar um avião de Israel. No entanto, a tripulação israelense fez uma manobra especial para se proteger, e o míssil acabou atingindo acidentalmente o avião russo Il-20.
Sputnik

O avião Il-20 desapareceu dos radares em 17 de setembro, por volta das 23h do horário de Moscou, (17h em Brasília) durante o retorno planejado à base aérea de Hmeymim, acima do território do mar Mediterrâneo, a 35 quilômetros da costa da Síria, informou o comunicado do Ministério da Defesa da Rússia. O represente oficial da Defesa russa, Igor Konashenkov sublinhou que os aviões israelenses "propositalmente criaram uma situação perigosa para navios e aviões nessa região".

Na opinião dele, para evitar o ataque sírio, a tripulação israelense acabou tornando o Ilyushin-20 alvo de ataque.

"Ao tentarem proteger-se com ajuda do avião russo, os pilotos israelenses o puseram debaixo de fogo do sistema de defesa antiaérea da Síria"…

OTAN irá monitorar navios russos a caminho do Mediterrâneo

Marinhas dos países-membros da OTAN planejam seguir o avanço dos navios russos para o mar Mediterrâneo, o posicionamento na região de um grupo naval coloca em dúvida as intenções da Rússia, disse um representante da Aliança à agência RIA Novosti. 


Sputnik

"A Rússia tem o direito de atuar em águas internacionais. As marinhas da OTAN planejam observar os navios russos enquanto estes avançam para o mar Mediterrâneo", disse o representante da Aliança.


Cruzador nuclear pesado russo Pyotr Veliky
Cruzador nuclear pesado Pyotr Veliky © Sputnik/ Vitaly Ankov


Segundo ele, "neste momento o posicionamento do grupo naval na parte oriental do mar Mediterrâneo não inspira confiança de que a Rússia trabalhe para resolver de forma política o conflito na Síria", disse.

Há que lembrar que um representante da Aliança Atlântica disse na quarta-feira (19) à mídia ocidental que a Rússia enviou todos os navios da Frota do Norte e a parte da Frota do Báltico para reforçar sua campanha na Síria. Ainda antes, a Frota do Norte informou do envio de um grupo de navios para o mar Mediterrâneo. 


Entretanto, o presidente da Academia de Problemas Geopolíticos Konstantin Sivkov afirmou que para o mar Mediterrâneo foi enviado o cruzador porta-aviões pesado Admiral Kuznetsov incluído em um grupo de ataque composto por 5-6 navios.

Segundo o especialista, a OTAN não tem razão quando diz que os 15 aviões a bordo do cruzador mudarão o equilíbrio de forças na região.

"Estes aviões são sobretudo caças, cerca de quatro MiG-29 e o resto são Su-33 que não estão adaptados para atacar alvos terrestres." 


"Assim, a chegada dos navios da Frota do Norte ao mar Mediterrâneo não reforçará significativamente as nossas forças militares na Síria. É mais provável que sejam medidas para prevenir ameaças aéreas potenciais do lado da OTAN", disse Sivkov.

Mais cedo, o serviço de relações públicas da Frota do Norte informou que o grupo de navios que será enviado para o mar Mediterrâneo inclui o porta-aviões Admiral Kuznetsov, o cruzador pesado de mísseis Pyotr Veliky, os navios antissubmarino Severomorsk e Vitse-admiral Kulakov e navios de apoio.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas