Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil simula resgate de civis em área de conflito ou desastre natural (VÍDEO)

A Marinha do Brasil realizou entre os dias 6 e 14 de novembro a Operação Atlântico, na praia de Itaoca, no Espírito Santo. A simulação deste ano treinou os oficiais para casos em que houvesse resgate de civis em uma área de conflito armado ou que foram alvos de desastres naturais.
Sputnik

Era por volta de 5h40 do dia 10 de novembro, um sábado, ainda estava amanhecendo, quando o Almirante Paulo Martinho Zucaro, Comandante da Força de Fuzileiros da Esquadra, olhou e disse para a reportagem da Sputnik Brasil: "É guerra".


A declaração foi dada para explicar os motivos de se realizar um treinamento deste porte mesmo em condições extremamente desfavoráveis. A chuva era forte, as ondas na beira da praia atingiam 1,5 metros e os ventos chegaram a 20 km/h. O nível de dificuldade preocupava o alto comando, mas não foi um problema para os fuzileiros e marinheiros.

Antes do amanhecer, sete Carros Lagarta Anfíbios (CLAnf) chegaram à praia e deram início ao desembarque. Após eles chegarem foi…

Posturas antiamericanas crescem na Turquia devido à questão dos curdos sírios

O governo turco tem reiterado por diversas vezes que a cooperação militar entre os militares americanos e as unidades das Forças de Autodefesa Curda da Síria é inaceitável, mas os EUA continuam colaborando com essas unidades.


Sputnik


Oktay Aksoy, ex-chefe da chancelaria do ministro das Relações Exteriores turco, chefe da Direção de Problemas Internacionais do Instituto de Política Externa de Ancara e ex-Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário da Turquia na Finlândia, Suécia e Jordânia deu uma entrevista exclusiva à Sputnik Turquia, falando sobre as divergências nas posturas turca e norte-americana. 


Militares curdos
Militares curdos © AFP 2016/ Marwan Ibrahim

Ele destaca que "a Turquia ficou sozinha, sem encontrar entendimento por parte dos seus aliados" e, como consequência, no país estão crescendo as atitudes antiamericanas. "Ancara não é capaz de dar uma resposta a Washington, mas denuncia suas ações dirigidas contra a Turquia", ressalta Aksoy. "O governo turco tem informado por diversas vezes os seus colegas norte-americanos que o uso de combatentes curdos na luta contra o grupo terrorista Daesh é inaceitável. Mas os EUA ignoraram o pedido da Turquia", explica o especialista. Segundo ele, as orientações políticas dos dois países divergiram radicalmente e Washington não quer mudar sua linha.


Neste contexto, Aksoy acha necessário que a Turquia "tome determinadas medidas". Mas a dificuldade é que a Turquia "não poderá fazer nada de sério contra os EUA sozinha". Contudo, os EUA poderão perder a Turquia que poderá buscar outras alternativas de cooperação.

Entretanto, o especialista indica que "os interesses de Ancara e de Washington na região nem sempre podem coincidir". "A Turquia, tendo em conta seus próprios interesses, se opôs às ações americanas na Síria e os EUA precisam de pensar sobre isso", frisa. Aksoy lamenta que os EUA tenham perdido um aliado tão importante como Turquia.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas