Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

China: 'Relatório do Pentágono distorce nossas intenções estratégicas'

A China rejeita firmemente as conclusões do relatório do Departamento de Defesa dos EUA sobre a situação militar e de segurança no país asiático, disse em comunicado o porta-voz do Ministério da Defesa chinês, Lu Kang.
Sputnik

"Em 17 de agosto, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos divulgou o relatório sobre a situação militar e de segurança na China, interpretando mal as intenções estratégicas da China e apresentando a chamada ‘ameaça militar chinesa' […] Os militares chineses expressam sua firme oposição a esse respeito", diz a declaração.

"As alegações do relatório dos EUA são pura especulação", disse Kang, explicando que o programa de modernização do Exército chinês se destina a defender "os interesses da soberania, segurança e desenvolvimento do país" e para "providenciar a paz, estabilidade e prosperidade globais".

O porta-voz do ministério chinês também reiterou a posição firme de seu país em relação a Taiwan, que ele definiu como u…

Premiê de Israel receia 'últimas' iniciativas de Obama

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, receia que, durante os últimos meses de mandato, o presidente norte-americano, Barack Obama, possa apresentar uma iniciativa de paz para o Oriente Médio que "entre em contradição com os interesses do Estado judeu", levando a apoiar tal ideia no Conselho de Segurança da ONU. 

Sputnik

As informações são da assessoria do chefe do governo de Israel.
Presidente norte-americano Barack Obama e primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu
Barack Obama e Benjamin Netanyahu © AP Photo/ Pablo Martinez Monsivais, foro de arquivo
Netanyahu acredita que o período entre as eleições de 8 de novembro e a posse do novo presidente seja perigoso, pois Obama poderá tentar 'organizar revanche' pelas tentativas fracassadas de avançar na questão de solução do conflito entre Palestina e Israel.

Segundo o comunicado de imprensa, Netanyahu "espera que as políticas dos EUA, que visam impedir aprovação das resoluções anti-israelenses no Conselho de Segurança da ONU, se mantenham".

De acordo com o jornal Haaretz, "as declarações de Netanyahu expressam preocupação dele e da chancelaria de Israel por Obama poder aproveitar o período entre as eleições e o final do seu mandato presidencial para deixar sua herança permanente na solução do conflito entre Palestina e Israel". 
Conforme a publicação, "Jerusalém acredita que Obama poderá expor sua visão da solução para o conflito e apoiar a resolução contra assentamentos no Conselho de Segurança da ONU".

Postar um comentário

Postagens mais visitadas