Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Premiê de Israel receia 'últimas' iniciativas de Obama

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, receia que, durante os últimos meses de mandato, o presidente norte-americano, Barack Obama, possa apresentar uma iniciativa de paz para o Oriente Médio que "entre em contradição com os interesses do Estado judeu", levando a apoiar tal ideia no Conselho de Segurança da ONU. 

Sputnik

As informações são da assessoria do chefe do governo de Israel.
Presidente norte-americano Barack Obama e primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu
Barack Obama e Benjamin Netanyahu © AP Photo/ Pablo Martinez Monsivais, foro de arquivo
Netanyahu acredita que o período entre as eleições de 8 de novembro e a posse do novo presidente seja perigoso, pois Obama poderá tentar 'organizar revanche' pelas tentativas fracassadas de avançar na questão de solução do conflito entre Palestina e Israel.

Segundo o comunicado de imprensa, Netanyahu "espera que as políticas dos EUA, que visam impedir aprovação das resoluções anti-israelenses no Conselho de Segurança da ONU, se mantenham".

De acordo com o jornal Haaretz, "as declarações de Netanyahu expressam preocupação dele e da chancelaria de Israel por Obama poder aproveitar o período entre as eleições e o final do seu mandato presidencial para deixar sua herança permanente na solução do conflito entre Palestina e Israel". 
Conforme a publicação, "Jerusalém acredita que Obama poderá expor sua visão da solução para o conflito e apoiar a resolução contra assentamentos no Conselho de Segurança da ONU".

Postar um comentário