Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Exército sírio bombardeia terroristas restantes no sul do país (VIDEO)

O exército sírio retomou os ataques de artilharia maciços contra os terroristas restantes na região de Tulul al Safa no deserto de As-Suwayda, no sul do país, depois de eles terem violado a trégua, segundo uma fonte do Exército.
Sputnik

De acordo com uma fonte que falou com a Sputnik Árabe, na terça-feira (16), o Exército sírio e os terroristas que ocupam as colinas de Tulul al Safa firmaram um acordo de cessar-fogo, segundo o qual os combatentes da Frente al-Nusra (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) se comprometeram a entregar as armas depois de serem cercados e sem saída.


Contudo, na manhã da quarta-feira (17) os terroristas atacaram as unidades do Exército sírio. Por sua vez, os soldados repeliram o ataque com êxito e contra-atacaram. Como resultado, dezenas de militantes foram mortos ou feridos. O Exército resolveu retomar os ataques maciços com peças de artilharia apoiadas do ar, tendo como objetivo eliminar as forças terroristas restantes até a épo…

Sunday Times denuncia presença de 3 submarinos russos no Mediterrâneo

Três submarinos se juntaram ao porta-aviões e ao grupo naval russo no mar Mediterrâneo, informou a edição Sunday Times, citando as fontes anônimas da Marinha do Reino Unido e da OTAN. 


Sputnik

Segundo a publicação, se trata de dois submarinos nucleares do projeto 971 Shuka-B (Akula) e de um outro diesel-elétrico do projeto 877 Paltus. Na semana passada, a frota britânica registrou sua passagem no mar Mediterrâneo. 


Um dos maiores submarinos nucleares russos construídos ainda na época da União Soviética é o Typhoon (Akula), que continua a ser o maior do mundo com cerca de 25.000 toneladas métricas (27.500 toneladas). Visto de frente no Mar de Barents, Ártico russo, nesta fotografia de setembro de 2001
Submarino russo Classe Akula © AP Photo/ Dmitry Lovetsky

Os interlocutores do Sunday Times pressupõem que os submarinos possam ser equipados com mísseis Kalibr para atacar alvos na Síria.

Anteriormente, o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, disse que a aliança está preocupada com a campanha do grupo naval russo da Frota do Norte no Mediterrâneo, que inclui um porta-aviões. Na opinião dele, os navios podem ser usados para bombardear Aleppo. O lado russo respondeu que não há razão para preocupação, pois os navios russos sempre estiveram presentes no mar Mediterrâneo.

O grupo naval, que começou a sua campanha em 15 de outubro, é composto pelo porta-aviões Admiral Kuznetsov, o cruzador Pyotr Veliky, os navios antissubmarino Severomorsk e Vitse-Admiral Kulakov e navios de abastecimento.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas