Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Venezuela está disposta a 'defender soberania e independência de Nicarágua'

Jorge Arreaza, chanceler da Venezuela, avisou da capital nicaraguense, Manágua, que o presidente Nicolás Maduro está disposto a apoiar a Nicarágua em defesa de sua soberania se for necessário.
Sputnik

"Se [nós] o povo bolivariano, os revolucionários da Venezuela, tivéssemos que vir à Nicarágua para defender a soberania e a independência nicaraguense, e oferecer nosso sangue pela Nicarágua, iríamos como Sandino, até à montanha de Nueva Segovia", expressou Arreaza.

O ministro das Relações Exteriores da Venezuela fez essas declarações durante a comemoração dos 39 anos do triunfo da Revolução Sandinista em Nicarágua, país para o qual viajou em 19 de julho.

O socialismo, enfatizou Arreaza, é o caminho certo, e assegurou que a Venezuela passou por uma situação semelhante da qual a Nicarágua enfrenta desde abril deste ano.

"Caros compatriotas, dizemos-lhes porque vivemos essa mesma experiência que vocês vivem nos últimos meses, nós as chamamos de guarimbas [termo para protesto popu…

Vice-premiê turco: 'Mundo está à beira de uma guerra regional ou mundial'

Por razão de tudo o que está acontecendo na Síria o mundo está à beira de uma guerra regional ou até mesmo mundial, opina o vice-primeiro-ministro da Turquia, Numan Kurtulmus.


Sputnik

O político partilhou a sua opinião em entrevista à agência Anadolu. 


Tropas turcas passam ovelhas no caminho perto de vila de Tuwairan, norte da Síria, 4 de setembro de 2016
Tropas turcas na Síria © AFP 2016/ NAZEER AL-KHATIB


"Qualquer guerra que é conduzida por mãos de terceiras forças acaba. Na Síria, o limite já foi esgotado. Os EUA e a Rússia estão agora em aberta contraposição. Isso significa que nós estamos à beira de uma guerra regional ou mundial", declarou. 

Kurtulmus destacou também que a Síria pertence aos sírios: 

"Nós não vamos ensinar o povo sírio como deve governar o país. Isso não deve ser feito nem pelo regime (do presidente da Síria Bashar Assad), nem pelos americanos, nem pela Rússia, nem pelo Irã. Esta decisão deve ser tomada pelo povo sírio".

Em 3 de outubro os EUA anunciaram, de modo unilateral, o fim da cooperação com a Rússia para a solução da crise na Síria. Segundo os porta-vozes de Washington, a partir daquele momento, somente os canais de comunicação militares permanecem ativos, para evitar conflitos entre os dois países no espaço aéreo sírio. Os EUA acusaram a Rússia de descumprir os acordos bilaterais.

Em resposta, o Ministério das Relações Exteriores da Rússia declarou estar profundamente decepcionado. Segundo a chancelaria russa, a decisão de Washington de interromper a cooperação com Moscou na Síria é uma prova de que os Estados Unidos são incapazes de cumprir os compromissos assumidos nos acordos bilaterais, entre os quais estavam a separação da oposição “moderada” dos militantes terroristas na Síria.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas