Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Argentina concorda em construir bases norte-americanas em seu território

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, aprovou a construção no país de várias bases militares dos EUA, informou no sábado (21) o portal mexicano Aristegui Noticias com referência a fontes informadas.
Sputnik

De acordo com o portal, trata-se de ao mínimo três bases militares a serem construídas nas províncias de Neuquén (onde fica a jazida de gás de xisto Vaca Muerta), Misiones e Tierra del Fuego, de onde se pode controlar a Antártida.

A sua criação deve ser financiada pelo Comando Sul dos EUA. Um dos principais adeptos da criação de bases seria a ministra da Segurança da Argentina, Patricia Bullrich.

Além disso, nota o portal mexicano, a ministra elogiou a chegada ao país de instrutores americanos que efetuam a preparação dos policiais argentinos antes da cúpula do G20 em novembro. Isso viola as atuais leis argentinas, porque é necessário obter a autorização do Congresso para tais ações, algo que não foi feito.

WikiLeaks: Clinton ameaça 'cercar a China com sistemas antimíssil'

Os documentos recentemente publicados pelo site WikiLeaks mostram que a presidenciável democrata Hillary Clinton, quando era Secretária de Estado dos EUA, ameaçou "cercar a China com sistemas de defesa antiaérea", caso o governo chinês não conseguisse conter o programa nuclear da Coreia do Norte.


Sputnik


Nesta quinta-feira, o WikiLeaks publicou a sexta parte dos e-mails confidenciais do chefe da campanha presidencial de Clinton, John Podesta. A publicação da primeira parte fora feita em 8 de outubro. 


Presidenciavel democrata Hillary Clinton
Hillary Clinton © AP Photo/ John Locher

De acordo com a agência Associated Press, a correspondência tornada pública inclui ainda excertos de discursos não-oficiais de Clinton. Na parte dedicada à China há uma série de questões que refletem o conflito de interesses sino-americano da época em que a atual presidenciável ocupava o posto de Secretária de Estado. 


"Nós pretendemos cercar a China com sistemas de defesa antimíssil. Nós vamos instalar mais navios da nossa frota nesta zona. Então, China, vamos lá! Ou vocês controlam eles, ou nós teremos que nos defender", citou a agência as palavras de Clinton de discurso datado por 2013.

Caso os testes norte-coreanos de mísseis balísticos tivessem sucesso, isso poderia criar uma ameaça não só aos aliados dos Estados Unidos na região do Pacífico, mas aos próprios EUA, visto que "eles realmente conseguirão atingir as ilhas do arquipélago do Havaí e, teoricamente, até a costa oeste", opinou ex-secretária.

Em setembro do ano corrente, Hillary Clinton ameaçou de novo Pequim com o aumento dos sistemas norte-americanos de defesa antimíssil na região, caso as autoridades falhassem em pressionar o lado norte-coreano em relação com o problema de desarmamento nuclear. Segundo Clinton, os EUA têm "vários métodos" de pressionar outros países.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas