Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Armata russo será equipado com drones espiões

O tanque russo T-14 Armata será em breve equipado com drones de vigilância, informa a edição Izvestia. 


Sputnik

De acordo com o Izvestia, que cita um investigador do Instituto Aeronáutico de Moscou, Vitaly Polyansky, os drones serão ligados ao tanque por meio de um cabo flexível.


Resultado de imagem para armata
T-14 Armata


O drone, chamado Pterodaktil, feito de material compósito, é projetado para captar imagens do campo de batalha na área de dezenas de quilômetros, de maneira a clarificar a situação e ajudar a apontar as armas. O Pterodaktil poderá voar sobre o Armata em um raio de 50-100 metros, atingindo a altitude de dezenas de metros. Graças ao cabo flexível, que fornece energia elétrica, o Pterodaktil será capaz de funcionar no ar durante tempo ilimitado.

Em comparação com os aparelhos controlados por ondas de rádio, o Pterodaktil será capaz de levar a bordo mais equipamentos, porque ele não tem que carregar baterias. Mais uma vantagem é que as informações obtidas pelo drone estão totalmente protegidas contra interceptação. A máquina será equipada com radar e câmara de visão térmica.

"O drone está em processo de construção, mas já no próximo ano vamos entregá-lo ao Ministério da Defesa para testes. No momento, estamos trabalhando no aligeiramento do aparelho e no aumento da sua capacidade de carga, mas o principal é que ele já passou todos os testes no nosso laboratório e funciona conforme foi projetado", disse Polyansky. 


O T-14 Armata é um tanque de terceira geração desenvolvido pela Rússia. A plataforma universal Armata permite produzir, além de tanques, veículos pesados blindados de combate de infantaria e de transporte, veículos de apoio, de comando e de reconhecimento.


Postar um comentário