Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Autoridades de Donetsk: 100 radicais ucranianos ocupam instalações civis

Eduard Basurin, o vice-comandante operacional da república de Donetsk, denuncia a colocação de combatentes do Pravy Sektor (Setor de Direita, proibido na Rússia) no território de uma escola no distrito de Donetsk. 


Sputnik

"Registramos mais um fato de instalação de combatentes radicais ucranianos em instalações de importância social", disse Basurin. 


Setor de Direita
Setor de Direita © AFP 2016/ SERGEI SUPINSKY

Ele especificou que na escola do povoado de Keramik foram colocados nacionalistas do Pravy Sektor, cuja quantidade é de 100 elementos.

Em 1 de setembro, em Donbass entrou em vigor mais um regime de cessar-fogo. Ele foi aprovado pelas partes durante a reunião do grupo de contato em Minsk que decorreu em 26 de agosto. O cessar-fogo foi planejado para coincidir com o início do ano letivo. Apesar do estado de cessar-fogo, surgiram múltiplos relatos de violações da trégua. Além disso, o grupo de contato para a regularização de situação na Ucrânia assinou em 21 de setembro, em Minsk, um acordo sobre o afastamento das forças militares e armamento das partes em conflito em Donbass. A retirada devia ter começado em 1 de outubro, mas não foi possível completar o processo. Tanto a milícia independentista como os militares ucranianos se acusam mutuamente de violação do regime de cessar-fogo.



Postar um comentário