Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Adeus a tecnologias 'stealth': novo radar russo pode detectar aviões furtivos

Tecnologias russas capazes de detectar aviões furtivos do inimigo podem vir a fazer parte do sistema da defesa antiaérea unida da OTSC – Organização do Tratado de Segurança Coletiva, declarou o chefe do Estado-Maior Conjunto da aliança, Anatoly Sidorov.
Sputnik

Inovações russas capazes de desativar tecnologias furtivas do inimigo podem vir a ser usadas na criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, declarou militar, citado pelo jornal Rossiyskaya Gazeta. Sidorov comentou que essas inovações seriam eficazes tanto contra aviação do inimigo como contra ataques com mísseis.



O sistema Rezonans-NE funciona graças ao princípio de reflexão ressonante de ondas de rádio da superfície de aparelhos aéreos, facilitando vigilância de aeronaves e mísseis do inimigo, explicou Aleksandr Scherbinko, vice-diretor executivo da empresa de design Rezonans.

"Este modelo pode ser de grande interesse, levando em consideração criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, cuja inauguração est…

Coalizão americana bombardeou Mossul 21 vezes em 24 horas

A coalizão militar liderada pelos Estados Unidos realizou 25 missões e conduziu 21 ataques aéreos em Mossul nas últimas 24 horas, segundo afirmou nesta terça-feira o porta-voz do Ministério da Defesa da Rússia, major-general Igor Konashenkov.


Sputnik


Os bombardeios da coalizão na cidade iraquiana, segundo o militar, seguem sendo realizados diariamente, enquanto na Síria, em Aleppo, as forças russas e as forças de Damasco estão inativas já há algum tempo. 


Caça F/A-18 Hornet durante uma missão de combate no Iraque
F/A 18 Super Hornet durante missão no Iraque © Foto: WikiMedia/Marinha dos EUA/Paul Farley

"As forças aéreas russas e sírias não estão ativas em Aleppo há mais de duas semanas. Ao mesmo tempo, bombardeiros estratégicos B-52N dos EUA, assim como caças F/A-18, partindo do porta-aviões Dwight D. Eisenhower, e (caças) Rafale-M, voando a partir do porta-aviões francês Charles de Gaulle, conduzem ataques em Mossul diariamente", afirmou Konashenkov. "Só nas últimas 24 horas, a coalizão realizou 25 incursões, conduzindo 21 bombardeios na cidade e nos subúrbios". 


A operação para retomar Mossul, controlada desde 2014 pelos jihadistas do Daesh (grupo terrorista proibido na Rússia e em diversos países), teve início no último dia 17. Mais de 30 mil militares do exército iraquiano e outros 4 mil combatentes curdos participam da ofensiva, que conta com o apoio de cinco mil soldados americanos em solo e da coalizão aérea liderada por Washington.

Postar um comentário