Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

Conselho de Segurança discute Aleppo

Reunião de emergência do Conselho de Segurança das Nações Unidas. Em cima da mesa a situação em Alepo, com novos bombardeamentos russos e sírios sobre a segunda cidade do país. 


RFI

O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas realiza hoje uma reunião de urgência para discutir a situação no leste da cidade de Alepo. O encontro foi solicitado pela França. 


media
Aleppo, Síria SANA/Handout via REUTERS

Os 15 embaixadores do Conselho de Segurança deverão ouvir um relatório sobre a situação em Alepo. Documento apresentado por Staffan de Mistura, responsável pelas situações humanitárias da ONU e pelo mediador das Nações Unidas para a Síria.

Segundo o Comité Internacional da Cruz Vermelha cerca de 20 mil pessoas fugiram da cidade nas últimas 72 horas, na tentativa de escapar aos combates e bombardeamentos à medida que as forças do regime de Damasco avançam.

Ontem o ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Jean-Marc Ayrault, que pediu esta reunião urgente, falou em catástrofe humanitária e na necessidade de em conjunto examinarem a situação na cidade e os meios a empenhar para socorrer a população.

As forças de Damasco recuperaram trinta por cento do território de Alepo oriental controlado por forças rebeldes há quase quatro anos.




Postar um comentário