Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Águas 'quentes' da Síria: fragata russa persegue submarino nuclear dos EUA

Durante sua última missão no mar Mediterrâneo em abril passado, a fragata Admiral Essen da Marinha russa conseguiu detectar e perseguir um submarino nuclear dos EUA perto da costa síria. Essa informação foi só agora tornada pública.
Sputnik

A fragata Admiral Essen, pertencente à Frota do Mar Negro, perseguiu o submarino estadunidense da classe Ohio durante mais de duas horas, comunica o jornal russo Izvestiya, citando o Estado-Maior da Marinha russa.

A tripulação do navio russo registrou os parâmetros principais do submarino para, em seguida, os adicionar ao retrato acústico do submersível.

A fragata havia partido para o mar Mediterrâneo em março e regressou à base de Sevastopol no fim de junho. Encontrava-se na zona costeira síria quando os EUA, o Reino Unido e a França atacaram a Síria com mísseis.

Além disso, no decurso da missão, a sua tripulação realizou uma série de manobras táticas. Em particular, treinou ataques contra alvos marítimos e aéreos, combate em grupo e isolado, bem como…

Crimeia reforça defesa costeira recuperando sistemas de mísseis soviéticos

Na península da Crimeia foi recuperado o funcionamento de dois sistemas de mísseis costeiros Utyos instalados ainda no período soviético. 


Sputnik

"Para verificar o funcionamento do sistema, foram lançados dois mísseis de cruzeiro P-35 no âmbito dos testes", disse à RIA Novosti uma fonte militar na península. 


Variante móvel do lançador de mísseis de cruzeiro P-35; a instalação na Crimeia receberá silos estacionários para este tipo de munição
P-35 Utyos © Sputnik/ Igor Zarembo


Com o lançamento bem-sucedido, agora a Frota do Mar Negro conta com dois sistemas de mísseis, cada um com dois silos de lançamento, de acordo com o interlocutor da agência RIA Novosti. 

Segundo os dados publicados, os mísseis de cruzeiro P-35 são capazes de atingir alvos a uma distância de até 300 quilômetros. A velocidade máxima de voo do míssil atinge os 2.000 km/h, estando o projétil equipado com uma ogiva de 560 quilogramas. 

Em 2014, o Ministério da Defesa russo realizou o ensaio do sistema para testar seu desempenho depois de quase 15 anos em desuso.

Após o seu desenvolvimento nos anos 70, os mísseis P-35 passaram por uma série de modernizações. Atualmente, o sistema utiliza a versão 3M44 Progress, inaugurada em 1982 e caracterizada por um maior alcance e uma trajetória mais adequada para evadir as defesas antiaéreas modernas.

Além disso, o míssil atual tem seu próprio módulo de seleção de alvos para combater o risco de interferências radio-eletrônicas entre o projétil e o posto de comando.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas