Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

ONG: EUA mobiliza terroristas no sul da Síria para atacar Ghouta Oriental

Os militares norte-americanos estão mobilizando combatentes de diversos grupos armados com objetivo de atacar os subúrbios orientais de Damasco, disse à Sputnik o chefe da rede de direitos humanos na Síria, Ahmad Kazem.
Sputnik

"Neste momento os EUA estão juntando os combatentes do Daesh e outros grupos, inclusive os de Idlib, e tenta os transferir para At-Tanf e depois para Ghouta Oriental (subúrbio de Damasco), com objetivo de se contrapor ao exército sírio, que pretende liberar a região dos terroristas", disse Kazem. 


Segundo o defensor dos direitos humanos, os financiadores da Arábia Saudita ordenaram que os terroristas já localizados em Guta Oriental empreendam o máximo dos esforços para resistir às tropas de Damasco.

"Eles continuarão a atacar Damasco de forma caótica com seus morteiros", acrescentou o entrevistado.

Os terroristas, que tomaram o subúrbio oriental de Damasco, continuam a disparar contra os bairros centrais e residenciais da capital síria. Nesta qui…

Crimeia reforça defesa costeira recuperando sistemas de mísseis soviéticos

Na península da Crimeia foi recuperado o funcionamento de dois sistemas de mísseis costeiros Utyos instalados ainda no período soviético. 


Sputnik

"Para verificar o funcionamento do sistema, foram lançados dois mísseis de cruzeiro P-35 no âmbito dos testes", disse à RIA Novosti uma fonte militar na península. 


Variante móvel do lançador de mísseis de cruzeiro P-35; a instalação na Crimeia receberá silos estacionários para este tipo de munição
P-35 Utyos © Sputnik/ Igor Zarembo


Com o lançamento bem-sucedido, agora a Frota do Mar Negro conta com dois sistemas de mísseis, cada um com dois silos de lançamento, de acordo com o interlocutor da agência RIA Novosti. 

Segundo os dados publicados, os mísseis de cruzeiro P-35 são capazes de atingir alvos a uma distância de até 300 quilômetros. A velocidade máxima de voo do míssil atinge os 2.000 km/h, estando o projétil equipado com uma ogiva de 560 quilogramas. 

Em 2014, o Ministério da Defesa russo realizou o ensaio do sistema para testar seu desempenho depois de quase 15 anos em desuso.

Após o seu desenvolvimento nos anos 70, os mísseis P-35 passaram por uma série de modernizações. Atualmente, o sistema utiliza a versão 3M44 Progress, inaugurada em 1982 e caracterizada por um maior alcance e uma trajetória mais adequada para evadir as defesas antiaéreas modernas.

Além disso, o míssil atual tem seu próprio módulo de seleção de alvos para combater o risco de interferências radio-eletrônicas entre o projétil e o posto de comando.



Postar um comentário