Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Primeiro voo do Aero L-159T2

A Aero Vodochody realizou o primeiro voo do treinador a jato L-159T2 de dois lugares em 1º de agosto. O voo de 30 minutos foi conduzido pelos pilotos de testes da empresa Vladimír Kvarda e David Jahoda.
Poder Aéreo

A Força Aérea Tcheca encomendou três exemplares em 2016, que devem ser entregues até o final deste ano. As aeronaves L-159 são operadas pelas forças aéreas tcheca e iraquiana, pela empresa americana Draken International e, no passado, foram alugadas pela Força Aérea Húngara para treinamento de pilotos.

Estas novas aeronaves de assento duplo T2 têm uma fuselagem central e dianteira recém-construída e apresentam várias melhorias significativas, principalmente em equipamentos de cockpit e sistema de combustível, e são totalmente compatíveis com o NVG. Cada cockpit é equipado com duas telas multifuncionais e um assento de ejeção VS-20 atualizado. A aeronave também pode oferecer uma capacidade de reabastecimento sob pressão. O radar GRIFO, já em uso na versão de um único assento, a…

Curdos de Mossul: 'Daesh incendiava nossas casas porque somos xiitas'

Dezenas de aldeias e cidades nas proximidades de Mossul, onde os shabaks curdos residem, ainda estão sob o controle do Daesh. O dirigente do Conselho dos Shabaks, Razi Behcet, falou à Sputnik Turquia sobre as perseguições sofridas por seu povo nas mãos do Daesh.


Sputnik


Os shabaks são um grupo étnico-religioso que reside no Iraque. As estimativas sobre o número de pessoas desta etnia variam de 130.000 a 500.000. 


Shabaks curdos abandonam cidades e aldeias perto de Mossul
Shabaks curdos abandonam Mossul e arredores © Sputnik/ Hikmet Durgun

Desde 2014, quando Mossul foi conquistada pelo Daesh, 6.000 shabaks foram forçados a fugir das cidades e aldeias ao redor de Mossul. 


Os refugiados ficam em um acampamento chamado Hazyr, na estrada entre Mossul e Erbil. Razi Behcet disse à Sputnik Turquia que, no Iraque e no Curdistão iraquiano, há cerca de 750.000 shabaks. 

"Entre eles há xiitas e há sunitas também. Um número significativo de shabaks vive em Sulaimaniya, Sinjar, Erbil, Bagdá e Mossul. No entanto, a maioria deles vive em Mossul, onde há cerca de 85 aldeias ", disse Behcet.

Quando os terroristas do Daesh se apoderaram de Mossul, um número significativo de shabaks foi forçado a fugir da cidade porque foram perseguidos pelo Daesh devido à sua crença xiita.

"Eles se refugiaram em Bagdá e Erbil. No entanto, havia aqueles que não podiam deixar suas casas em Mossul. Os shabaks xiitas sofreram perseguições particularmente graves pelos jihadistas. Suas casas foram incendiadas; mulheres e crianças foram submetidas a torturas humilhantes", disse Behcet.
 

Ele destacou que milhares dos shabaks foram mortos um um massacre perpetrado pelo Daesh.

Segundo o líder do grupo étnico, no exército iraquiano e nas forças peshmerga há uma unidade separada composta por shabaks. Atualmente, os combatentes dessa força estão participando da operação de grande escala para libertar Mossul iniciada em 17 de outubro.



Postar um comentário

Postagens mais visitadas