Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Adeus a tecnologias 'stealth': novo radar russo pode detectar aviões furtivos

Tecnologias russas capazes de detectar aviões furtivos do inimigo podem vir a fazer parte do sistema da defesa antiaérea unida da OTSC – Organização do Tratado de Segurança Coletiva, declarou o chefe do Estado-Maior Conjunto da aliança, Anatoly Sidorov.
Sputnik

Inovações russas capazes de desativar tecnologias furtivas do inimigo podem vir a ser usadas na criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, declarou militar, citado pelo jornal Rossiyskaya Gazeta. Sidorov comentou que essas inovações seriam eficazes tanto contra aviação do inimigo como contra ataques com mísseis.



O sistema Rezonans-NE funciona graças ao princípio de reflexão ressonante de ondas de rádio da superfície de aparelhos aéreos, facilitando vigilância de aeronaves e mísseis do inimigo, explicou Aleksandr Scherbinko, vice-diretor executivo da empresa de design Rezonans.

"Este modelo pode ser de grande interesse, levando em consideração criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, cuja inauguração est…

DCNS revela fragata BELH@RRA na Euronaval 2016 (video)

Alexandre Galante | Poder Naval

A empresa francesa DCNS revelou na feira Euronaval 2016 a fragata BELH@RRA de 4.000 toneladas, que fica situada entre a fragata FREMM de 6.000 toneladas e a Gowind de 3.000 toneladas. 



Segundo a companhia, a BELH@RRA pretende dar continuidade ao sucesso de exportação das fragatas classe “La Fayette”.

A DCNS quer responder às expectativas das marinhas que estão à procura de uma fragata compacta, capaz de assegurar missões de longo alcance, operando isoladamente ou incorporada em uma força naval, em alto mar ou como parte de missões de vigilância costeira em um ambiente denso e hostil.

A nova fragata vai oferecer um desempenho de ponta para a guerra antissubmarino, uma capacidade de detecção de aeronaves sem precedentes e capacidades de antiaérea reforçada; também terá capacidade multimissão para novas ameaças, como guerra assimétrica ou cyber-defesa. Segundo a companhia, é a primeira fragata de “nativamente digital”.

O navio terá radares de antenas fixas Thales Sea Fire e mísseis antiaéreos MBDA Aster 30.



Postar um comentário