Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Morte made in Brazil: conflitos no Oriente Médio alavancam exportação de armamento do país

Uma missão árabe chegou ao Brasil interessada na compra de cargueiros KC-390 fabricados pela Embraer. A visita é resultado do esforço do Grupo Parlamentar Brasil-Arábia Saudita, criado no início deste mês, para aproximar os dois países no campo de defesa militar.
Sputnik

O KC-390 vai substituir os Hércules C-130 da Força Aérea Brasileira (FAB), é o maior avião produzido na América e foi concebido como um jato militar de transporte, anunciado pela primeira vez na edição de 2007 da Latin America Aero & Defence (LAAD), no Rio de Janeiro. A produção do avião, com capacidade para 23 toneladas de carga, envolve parcerias com fornecedores de peças de Argentina, Portugal e República Tcheca. Com um custo unitário de US$ 85 milhões, o KC-390, em fase final de testes, tem recebido propostas de compra de vários países.



A compra do cargueiro, porém, é apenas um detalhe na exportação brasileira de armamentos não só para a Arábia Saudita, como também para vários países do Oriente Médio e do Norte d…

DCNS revela fragata BELH@RRA na Euronaval 2016 (video)

Alexandre Galante | Poder Naval

A empresa francesa DCNS revelou na feira Euronaval 2016 a fragata BELH@RRA de 4.000 toneladas, que fica situada entre a fragata FREMM de 6.000 toneladas e a Gowind de 3.000 toneladas. 



Segundo a companhia, a BELH@RRA pretende dar continuidade ao sucesso de exportação das fragatas classe “La Fayette”.

A DCNS quer responder às expectativas das marinhas que estão à procura de uma fragata compacta, capaz de assegurar missões de longo alcance, operando isoladamente ou incorporada em uma força naval, em alto mar ou como parte de missões de vigilância costeira em um ambiente denso e hostil.

A nova fragata vai oferecer um desempenho de ponta para a guerra antissubmarino, uma capacidade de detecção de aeronaves sem precedentes e capacidades de antiaérea reforçada; também terá capacidade multimissão para novas ameaças, como guerra assimétrica ou cyber-defesa. Segundo a companhia, é a primeira fragata de “nativamente digital”.

O navio terá radares de antenas fixas Thales Sea Fire e mísseis antiaéreos MBDA Aster 30.



Postar um comentário