Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Única mulher a bordo do submarino argentino desaparecido é oficial pioneira

Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é a 'primeira submarinista' da Argentina. O ARA San Juan desapareceu com 44 tripulantes no Atlântico Sul.
G1

Única mulher no submarino militar argentino desaparecido com 44 tripulantes no Atlântico Sul, Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é descrita pela imprensa local como primeira oficial submarinista do país e da América do Sul. Ela ocupa o cargo de chefe de armas do ARA San Juan, que perdeu contato com a terra na sexta-feira (17).

Eliana nasceu em Oberá, na província de Misiones, no nordeste da Argentina, e só conheceu o mar aos 21 anos de idade, destaca o perfil do jornal "Clarín". Após se formar no ensino médio, ela se matriculou na Universidade de Misiones para fazer faculdade de Engenharia Industrial.

Duas tragédias familiares levaram Eliana a desistir do curso: a morte de um irmão, em um acidente de trânsito, e a morte da mãe, em decorrência de um problema cardíaco.

Em um perfil publicado em 2015 na revista "Viva", que …

EUA renovarão arsenal com 400 novos mísseis nucleares intercontinentais

A Força Aérea dos EUA está preparada para fabricar, pelo menos, 400 novos mísseis balísticos intercontinentais (ICBM, na sigla em inglês) de última geração e está avaliando as propostas formais de três fornecedores concorrentes.


Sputnik


As propostas da Northrop, da Boeing e da Lockheed estão sendo analisadas pelos desenvolvedores de armas da Força Aérea norte-americana, que busca modernizar o arsenal de mísseis nucleares terrestres dos EUA e substituir os Minuteman III, construídos pela Boeing nos anos 1970, segundo relata o portal Scout. 


Lançamento de míssil balístico Minuteman III
Lançamento de um ICBM Minuteman III © AP Photo/ Foto de arquivo, Força Aérea dos EUA

As novas armas terão tecnologia de guia e sistemas de voo muito mais avançados do que os dos Minuteman III. Sua produção será acompanhada por um plano de sustentabilidade e manutenção a longo prazo, a fim de que elas possam ficar em serviço até 2075. 


Os mísseis serão implantados aproximadamente dentro da mesma área geográfica onde se encontram agora. Atualmente, os mísseis estão localizados em lugares como Cheyenne (Wyoming), Minot (Dakota do Norte) e Great Falls (Montana), e cobrem um raio de até 54.000 quilômetros. 

O novo esforço para construir ICBMs tem como objetivo "salvar milhões de vidas", segundo o autor do artigo, porque serviria para evitar guerras de grande escala com outras grandes potências nucleares. É o que a Força Aérea norte-americana chama de "dissuasão estratégica terrestre", que constituiria a principal razão para a renovação do arsenal de mísseis balísticos intercontinentais dos EUA.

Postar um comentário