Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Força Aérea israelense anuncia estreia global do caça F-35 em combate

Israel foi o primeiro país ao qual os Estados Unidos autorizaram a venda do caça invisível
Juan Carlos Sanz | El País
Jerusalém - A Força Aérea de Israel revelou nesta terça-feira que foi a primeira a utilizar em combate o F-35, o ultramoderno caça furtivo indetectável para os radares inimigos. O chefe da aeronáutica israelense, general Amikam Nirkin, fez o comunicado aos comandantes das forças aéreas de vários países reunidos ao norte de Tel Aviv.

O general Nirkin mostrou a seus colegas – procedentes dos EUA, Itália, França, Índia e Brasil, entre outros países – a imagem de vários F-35 sobre Beirute, enquanto confirmava que esses aviões tinham participado de ataques em duas frentes.

“O esquadrão do F-35 está em operação e já sobrevoa todo o Oriente Médio”, afirmou o chefe da força aérea.

Nirkin reiterou que, há duas semanas, a Guarda Revolucionária iraniana disparou 32 foguetes contra as Colinas de Golã, planalto sírio ocupado por Israel desde 1967 e que, em resposta à agressão, a aviação…

EUA renovarão arsenal com 400 novos mísseis nucleares intercontinentais

A Força Aérea dos EUA está preparada para fabricar, pelo menos, 400 novos mísseis balísticos intercontinentais (ICBM, na sigla em inglês) de última geração e está avaliando as propostas formais de três fornecedores concorrentes.


Sputnik


As propostas da Northrop, da Boeing e da Lockheed estão sendo analisadas pelos desenvolvedores de armas da Força Aérea norte-americana, que busca modernizar o arsenal de mísseis nucleares terrestres dos EUA e substituir os Minuteman III, construídos pela Boeing nos anos 1970, segundo relata o portal Scout. 


Lançamento de míssil balístico Minuteman III
Lançamento de um ICBM Minuteman III © AP Photo/ Foto de arquivo, Força Aérea dos EUA

As novas armas terão tecnologia de guia e sistemas de voo muito mais avançados do que os dos Minuteman III. Sua produção será acompanhada por um plano de sustentabilidade e manutenção a longo prazo, a fim de que elas possam ficar em serviço até 2075. 


Os mísseis serão implantados aproximadamente dentro da mesma área geográfica onde se encontram agora. Atualmente, os mísseis estão localizados em lugares como Cheyenne (Wyoming), Minot (Dakota do Norte) e Great Falls (Montana), e cobrem um raio de até 54.000 quilômetros. 

O novo esforço para construir ICBMs tem como objetivo "salvar milhões de vidas", segundo o autor do artigo, porque serviria para evitar guerras de grande escala com outras grandes potências nucleares. É o que a Força Aérea norte-americana chama de "dissuasão estratégica terrestre", que constituiria a principal razão para a renovação do arsenal de mísseis balísticos intercontinentais dos EUA.

Postar um comentário