Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Venezuela está disposta a 'defender soberania e independência de Nicarágua'

Jorge Arreaza, chanceler da Venezuela, avisou da capital nicaraguense, Manágua, que o presidente Nicolás Maduro está disposto a apoiar a Nicarágua em defesa de sua soberania se for necessário.
Sputnik

"Se [nós] o povo bolivariano, os revolucionários da Venezuela, tivéssemos que vir à Nicarágua para defender a soberania e a independência nicaraguense, e oferecer nosso sangue pela Nicarágua, iríamos como Sandino, até à montanha de Nueva Segovia", expressou Arreaza.

O ministro das Relações Exteriores da Venezuela fez essas declarações durante a comemoração dos 39 anos do triunfo da Revolução Sandinista em Nicarágua, país para o qual viajou em 19 de julho.

O socialismo, enfatizou Arreaza, é o caminho certo, e assegurou que a Venezuela passou por uma situação semelhante da qual a Nicarágua enfrenta desde abril deste ano.

"Caros compatriotas, dizemos-lhes porque vivemos essa mesma experiência que vocês vivem nos últimos meses, nós as chamamos de guarimbas [termo para protesto popu…

Ex-secretário-geral da OTAN: EUA devem virar novo 'gendarme mundial'

Anders Fogh Rasmussen, ex-secretário-geral da OTAN, afirmou que, qualquer que seja o resultado das eleições presidenciais norte-americanas, os EUA deverão intervir de modo mais ativo na resolução dos conflitos internacionais. 


Sputnik

"Precisamos que os EUA desempenhem o papel de gendarme mundial. Temos que estabelecer o papel primordial dos EUA em todos os assuntos internacionais", frisou o ex-secretário-geral da OTAN em uma entrevista concedida ao canal britânico Sky News.


Ex-secretário-geral da OTAN Anders Fogh Rasmussen
Anders Fogh Rasmussen © AFP 2016/ JOHN THYS


Segundo Rasmussen, na lista de problemas que precisam ser solucionados há a situação na Síria, no Iraque, na Líbia e no leste da Ucrânia.

"As superpotências não podem descansar. Olhem ao redor de vocês e vão ver que o mundo está em chamas. Tem a Síria mergulhada em uma guerra civil, o Iraque que está à beira do colapso. A Líbia se tornou um Estado falhado na África do Norte. A Rússia está atacando a Ucrânia e desestabilizando a Europa de Leste. Tem a China mostrando seus músculos, o Estado pária da Coreia do Norte que ameaça todo o mundo com um ataque nuclear", disse Rasmussen. 


"Tudo isso requer um policial mundial para reestabelecer a lei e a ordem internacionais", salientou o político. 

Segundo o político dinamarquês, Barack Obama "resistiu ferozmente ao uso da força e à ameaça de uso da força militar para evitar conflitos internacionais".

O ex-secretário-geral da OTAN também se mostrou preocupado com a hipótese de o candidato republicano Donald Trump se tornar o próximo presidente norte-americano. De acordo com ele, isto "pode representar uma ameaça enorme" para todo o mundo.

As eleições presidenciais norte-americanas realizar-se-ão em 8 de novembro. Barack Obama está terminando seu segundo mandato e não pode concorrer de novo, segundo diz a Constituição. Os dois principais candidatos à presidência são o republicano Donald Trump e a democrata Hillary Clinton. Quem se tornar sucessor de Obama vai tomar posse em 20 de janeiro do ano que vem.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas