Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Análise: presidente ucraniano mata sua indústria ao introduzir novas sanções contra Rússia

O presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, assinou um decreto sobre as sanções contra a Rússia adotadas pelo Conselho de Defesa e Segurança Nacional da Ucrânia. O especialista Eduard Popov falou com a Sputnik e indicou qual o principal objetivo perseguido pelo governo ucraniano com tal iniciativa.
Sputnik

Em 2 de maio, o Conselho de Defesa e Segurança Nacional da Ucrânia ampliou as medidas restritivas em relação a diversas pessoas físicas e jurídicas russas, bem como prolongou a vigência das sanções introduzidas anteriormente.

Segundo informou a assessoria de imprensa da entidade, as sanções são aplicadas a pessoas "relacionadas com a agressão no ciberespaço e no campo informacional" contra a Ucrânia, "ações criminosas" contra os cidadãos ucranianos detidos na Rússia, bem como aos deputados da Duma de Estado e do Conselho da Federação da Rússia.

O diretor do Centro de Cooperação Pública e Informativa "Europa", Eduardo Popov, disse ao serviço russo da Rádio Sp…

Irã comenta a conduta 'pouco profissional' de militares dos EUA no Golfo Pérsico

A presença dos militares norte-americanos no Golfo Pérsico cria um risco de conflito na região. A agência Fars cita a declaração de um representante do Ministério da Defesa iraniano sobre conduta "inoportuna e pouco profissional" dos militares norte-americanos no Golfo Pérsico.


Sputnik


Anteriormente, foi informado que o navio do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica (CGRI) do Irã apontou armas em direção ao helicóptero da Marinha dos EUA no Estreito de Ormuz, em 26 de novembro. Segundo o Pentágono, o incidente ocorreu quando o helicóptero SH-60 voava à distância de 800 metros de dois navios iranianos nas águas internacionais. Os representantes do Ministério da Defesa iraniano se referiram às ações como provocação. 


Navios de guerra da Marinha do Irã
Navios da Marinha do Irã © AP Photo/ Fars News Agency, Mahdi Marizad

Segundo um representante do CGRI citado pela agência Fars, "não é segredo para ninguém que o maior problema no Golfo Pérsico é a presença dos militares norte-americanos que, por sua conduta não profissional, querem demonstrar que a situação está anormal".


O representante destacou que navios internacionais atravessam o Estreito de Ormuz diariamente, sem quaisquer problemas, em conformidade com a legislação internacional. Apenas os EUA expressaram seu descontentamento, acusando o Irã. Na opinião do representante, por agir dessa forma, os EUA estão preocupados somente com seus próprios objetivos.

Ao mesmo tempo o representante deixou claro que a Marinha do CGRI continuará suas missões nas águas territoriais do Irã e não vai prestar atenção às declarações dos EUA.

Postar um comentário