Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Israel encomenda 17 caças furtivos F-35 dos EUA

Israel vai encomendar 17 novos caças stealth F-35 dos EUA, elevando para 50 o número desses aviões dos quais o Estado judeu vai se apropriar nos próximos anos, anunciou neste domingo (27) o escritório do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu.


Sputnik


O gabinete de segurança israelense deu sinal verde à nova encomenda, acrescentou o comunicado. 


Caças americanos F-35
Lockheed Martin F-35 Lightining © flickr.com/ US Air Force/Master Sgt. Donald R. Allen

Israel deve receber a entrega dos primeiros F-35 no mês que vem. Segundo a rádio pública do país, a compra desses aparelhos será financiada pela ajuda militar norte-americana, que foi aumentada em setembro e elevada a 38 milhões de dólares para o período de 2019 a 2018. 


Ao pedir esta encomenda, o governo “entende agir para reforçar a segurança de Israel e assegurar sua existência nas próximas décadas”, disse Netanyahu à rádio pública. 

“Israel pode se defender com suas próprias forças contra todos os seus inimigos, seja qual for a distância”, acrescentou o premiê. 

Os dirigentes israelenses justificaram a aquisição dos F-35 evocando a suposta ameaça posta pelo Irã. 

Os caças F-35 são capazes de passar despercebidos pelos sistemas de defesa antiaérea do Irã, notadamente os mísseis S-300 que foram recentemente entregues pela Rússia e implantados para proteger a zona nuclear iraniana de Fordo, segundo anunciou no fim de agosto a televisão estatal do Irã. 

Teerã é considerado por Tel-Aviv o inimigo número um do Estado israelense. O acordo nuclear iraniano assinado em julho de 2015 entre o Irã e o Sexteto de mediadores internacionais resultou no levantamento das sanções internacionais contra o país, que nega querer desenvolver armamentos nucleares.

Postar um comentário