Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

Japão dará mais liberdade a militares no Sudão do Sul

As Forças de Autodefesa do Japão receberam permissão para atuar de forma mais efetiva na missão enviada para o Sudão do Sul, participando de operações de resgate e ficando menos sujeita a restrições no que diz respeito ao uso de armas, segundo informou a mídia japonesa. 


Sputnik

De acordo com a agência Kyodo, o governo japonês considerou que, com a mudança, o Japão poderá realizar um trabalho melhor de proteção regional e de segurança internacional. Anteriormente, os militares presentes no país africano tinham funções limitadas a construção de infraestrutura. 
Soldados das Forças de Autodefesa do Japão
Militares da Força de Autodefesa do Japão © AFP 2016/ Frederic J. Brown

O Sudão do Sul foi tomado por um conflito étnico armado em dezembro de 2013, um ano e meio após sua independência do Sudão. Mais de um milhão de pessoas tiveram que deixar suas casas por conta dos combates. As forças japonesas vêm atuando na região desde 2012.
Postar um comentário