Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Morte made in Brazil: conflitos no Oriente Médio alavancam exportação de armamento do país

Uma missão árabe chegou ao Brasil interessada na compra de cargueiros KC-390 fabricados pela Embraer. A visita é resultado do esforço do Grupo Parlamentar Brasil-Arábia Saudita, criado no início deste mês, para aproximar os dois países no campo de defesa militar.
Sputnik

O KC-390 vai substituir os Hércules C-130 da Força Aérea Brasileira (FAB), é o maior avião produzido na América e foi concebido como um jato militar de transporte, anunciado pela primeira vez na edição de 2007 da Latin America Aero & Defence (LAAD), no Rio de Janeiro. A produção do avião, com capacidade para 23 toneladas de carga, envolve parcerias com fornecedores de peças de Argentina, Portugal e República Tcheca. Com um custo unitário de US$ 85 milhões, o KC-390, em fase final de testes, tem recebido propostas de compra de vários países.



A compra do cargueiro, porém, é apenas um detalhe na exportação brasileira de armamentos não só para a Arábia Saudita, como também para vários países do Oriente Médio e do Norte d…

Japão dará mais liberdade a militares no Sudão do Sul

As Forças de Autodefesa do Japão receberam permissão para atuar de forma mais efetiva na missão enviada para o Sudão do Sul, participando de operações de resgate e ficando menos sujeita a restrições no que diz respeito ao uso de armas, segundo informou a mídia japonesa. 


Sputnik

De acordo com a agência Kyodo, o governo japonês considerou que, com a mudança, o Japão poderá realizar um trabalho melhor de proteção regional e de segurança internacional. Anteriormente, os militares presentes no país africano tinham funções limitadas a construção de infraestrutura. 
Soldados das Forças de Autodefesa do Japão
Militares da Força de Autodefesa do Japão © AFP 2016/ Frederic J. Brown

O Sudão do Sul foi tomado por um conflito étnico armado em dezembro de 2013, um ano e meio após sua independência do Sudão. Mais de um milhão de pessoas tiveram que deixar suas casas por conta dos combates. As forças japonesas vêm atuando na região desde 2012.
Postar um comentário