Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Israel prende o governador palestino de Jerusalém

Motivo da detenção foram crimes cometidos na Cisjordânia ocupada, segundo a Organização para a Libertação da Palestina.
France Presse

Israel prendeu o governador palestino de Jerusalém por crimes que teria cometido na Cisjordânia ocupada, que não foram especificados, informou a Organização para a Libertação da Palestina (OLP).

O governador Adnan Gheith foi detido no sábado (20) à noite no bairro palestino de Beit Hanina, em Jerusalém Oriental, ocupada e anexada por Israel. Será apresentado a um tribunal dentro de quatro dias, afirma a OLP em um comunicado.

Para o dirigente da OLP Saeb Erakat, a detenção é "um novo passo contra a presença palestina em Jerusalém" e constitui uma violação da legislação israelense a respeito das instituições palestinas da cidade.

"As ameaças contra dirigentes palestinos, sua detenção, inclusive o 'sequestro' do governador Gheith, são parte de um plano que pretende sufocar todas as bases de uma solução política com dois Estados e com as f…

Líder do Daesh convoca 'destruição de cidades de infiéis'

O líder do grupo terrorista Daesh (Estado Islâmico, proibido na Rússia), Abu Bakr Al-Baghdadi, fez uma convocação para homens-bomba "destruírem cidades de infiéis". 


Sputnik

Em primeira mensagem de áudio gravada desde o início da ofensiva dos EUA e das forças iraquianas em Mossul, o líder do Daesh manifestou confiança na vitória da batalha pela cidade e afirmou que não haverá uma retirada dos radicais da região iraquiana de Mossul. 


Fogo na zona de al-Qayyara perto de Mossul, Iraque, 19 de outubro de 2016
Fogo perto de Mossul, no Iraque © AFP 2016/ YASIN AKGUL

"Esta guerra total e a grande jihad que o Estado Islâmico está lutando hoje só reforça nossa firme convicção de que é nossa crença de que tudo isso é um prelúdio para a vitória", disse ele em gravação divulgada na internet por apoiadores.

O líder convocou a população da província de Nineveh, em Mossul, e os combatentes suicidas para "lutar contra os inimigos de Deus". 


A operação militar terrestre para libertar Mossul das garras do Daesh começou na manhã de 17 de outubro, em campanha que uniu as forças do Exército do Iraque, os combatentes curdos Peshmerga, milícias xiitas e o apoio da coalizão aérea liderada pelos EUA. 

Em 31 de outubro, várias unidades de forças especiais antiterroristas iraquianas, apoiadas por veículos blindados e tanques Abrams, lançaram uma ofensiva sobre a cidade a partir do leste.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas