Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha e Aeronáutica do Brasil auxiliam buscas a submarino argentino desaparecido, diz ministro

Segundo Raul Jungmann, três navios e um avião brasileiros já foram disponibilizados. Última vez que o submarino militar com 44 pessoas a bordo manteve contato com a base foi na quarta-feira (15).
Por G1, Brasília

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, publicou em seu perfil no Twitter neste sábado (18) que três navios da Marinha brasileira "já estão auxiliando" nas buscas a um submarino argentino que desapareceu com 44 tripulantes a bordo.

Ainda segundo o ministro, a Força Aérea Brasileira (FAB) disponibilizou um avião para também ajudar na procura pelo submarino e um segundo avião "será deslocado para apoiar as buscas do submarino argentino desaparecido" a partir deste domingo (19).

O submarino militar ARA San Juan manteve contato com a base pela última vez na manhã de quarta-feira (15), quando estava no sul do Mar Argentino, a 432 quilômetros da costa patagônica do país.

De acordo com a FAB, o primeiro avião disponibilizado pelo Brasil decolou, com 18 tripulantes, às 17…

Líder do Daesh convoca 'destruição de cidades de infiéis'

O líder do grupo terrorista Daesh (Estado Islâmico, proibido na Rússia), Abu Bakr Al-Baghdadi, fez uma convocação para homens-bomba "destruírem cidades de infiéis". 


Sputnik

Em primeira mensagem de áudio gravada desde o início da ofensiva dos EUA e das forças iraquianas em Mossul, o líder do Daesh manifestou confiança na vitória da batalha pela cidade e afirmou que não haverá uma retirada dos radicais da região iraquiana de Mossul. 


Fogo na zona de al-Qayyara perto de Mossul, Iraque, 19 de outubro de 2016
Fogo perto de Mossul, no Iraque © AFP 2016/ YASIN AKGUL

"Esta guerra total e a grande jihad que o Estado Islâmico está lutando hoje só reforça nossa firme convicção de que é nossa crença de que tudo isso é um prelúdio para a vitória", disse ele em gravação divulgada na internet por apoiadores.

O líder convocou a população da província de Nineveh, em Mossul, e os combatentes suicidas para "lutar contra os inimigos de Deus". 


A operação militar terrestre para libertar Mossul das garras do Daesh começou na manhã de 17 de outubro, em campanha que uniu as forças do Exército do Iraque, os combatentes curdos Peshmerga, milícias xiitas e o apoio da coalizão aérea liderada pelos EUA. 

Em 31 de outubro, várias unidades de forças especiais antiterroristas iraquianas, apoiadas por veículos blindados e tanques Abrams, lançaram uma ofensiva sobre a cidade a partir do leste.


Postar um comentário