Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares dos EUA prometem responder a possível ataque turco contra cidade síria de Manbij

Os militares norte-americanos prometeram responder a qualquer ataque contra a cidade síria de Manbij à luz de uma possível operação turca na área, afirmou o comandante do Conselho Militar de Manbij, que faz parte das Forças Democráticas da Síria (FDS), Ebu Adil.
Sputnik

Em entrevista à Sputnik Turquia, Ebu Adil comentou a resposta dos EUA às preocupações expressas pelos representantes do Conselho Militar de Manbij devido a um possível ataque contra a cidade síria por parte de Ancara.


"Há dois anos, em conjunto com as forças da coalizão liderada pelos EUA, nós limpamos Manbij do Daesh [organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países]. Desde então, na cidade se encontram forças da coalizão. Algum tempo atrás, nós falamos com os militares norte-americanos sobre um possível ataque da Turquia contra Manbij. Os militares dos EUA prometeram responder a qualquer ataque contra a cidade, de onde quer que ele provenha", afirmou o comandante do conselho.

Além disso, ele …

Mídia de Israel prevê conflito entre Moscou e Tel Aviv

O fortalecimento da presença militar da Rússia no Oriente Médio preocupa Israel, de modo que um conflito armado entre os dois países é uma questão de tempo, afirma um artigo publicado pelo site israelense Mako.co.il. 


Sputnik

De acordo com a publicação, a situação na região vem mudando consideravelmente nos últimos tempos, e agora Israel se depara com a implantação de sistemas de mísseis avançados por Moscou e operações de inteligência russa voltadas contra Tel Aviv.


Presidente russo Vladimir Putin antes da reunião com o primeiro-ministro de Israel Bejamin Netanyahu na sua residência em Sochi, Rússia, maio de 2013
Presidente russo Vladimir Putin em Israel para reunião com Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro israelense © Sputnik/ Aleksei Druzhinin


"O porta-aviões russo Admiral Kuznetsov continua seguindo sua rota do Mar do Norte para o Mediterrâneo, um fato que preocupa muito o exército israelense. (…) Pela primeira vez nos últimos 40 anos, as Forças Armadas de Israel não estão sozinhas na região e também já não controlam mais esse território. Pelo visto, o confronto com a Rússia é apenas uma questão de tempo" – escreve o autor.

Recentemente, o Parlamento da Rússia ratificou um acordo sobre a permanência da Força Aérea russa na Síria por tempo indeterminado. Tel Aviv está em uma situação difícil, uma vez que a maioria das províncias sírias que interessam a Israel estão agora protegidas pelos sistemas russos de defesa antiaérea S-400 e S-300.


Esses sistemas monitoram por completo não apenas voos de aviões militares na região, mas também da aviação civil, sendo capazes de detectar decolagens e aterrissagens no Aeroporto Internacional Ben Gurion, o maior de Israel, bem como as operações da força aérea israelense no Líbano e seus arredores.

Tudo isso, de acordo com o colunista, aumenta as chances de um conflito armado marítimo e terrestre entre Rússia e Israel.


Postar um comentário