Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

Mídia de Israel prevê conflito entre Moscou e Tel Aviv

O fortalecimento da presença militar da Rússia no Oriente Médio preocupa Israel, de modo que um conflito armado entre os dois países é uma questão de tempo, afirma um artigo publicado pelo site israelense Mako.co.il. 


Sputnik

De acordo com a publicação, a situação na região vem mudando consideravelmente nos últimos tempos, e agora Israel se depara com a implantação de sistemas de mísseis avançados por Moscou e operações de inteligência russa voltadas contra Tel Aviv.


Presidente russo Vladimir Putin antes da reunião com o primeiro-ministro de Israel Bejamin Netanyahu na sua residência em Sochi, Rússia, maio de 2013
Presidente russo Vladimir Putin em Israel para reunião com Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro israelense © Sputnik/ Aleksei Druzhinin


"O porta-aviões russo Admiral Kuznetsov continua seguindo sua rota do Mar do Norte para o Mediterrâneo, um fato que preocupa muito o exército israelense. (…) Pela primeira vez nos últimos 40 anos, as Forças Armadas de Israel não estão sozinhas na região e também já não controlam mais esse território. Pelo visto, o confronto com a Rússia é apenas uma questão de tempo" – escreve o autor.

Recentemente, o Parlamento da Rússia ratificou um acordo sobre a permanência da Força Aérea russa na Síria por tempo indeterminado. Tel Aviv está em uma situação difícil, uma vez que a maioria das províncias sírias que interessam a Israel estão agora protegidas pelos sistemas russos de defesa antiaérea S-400 e S-300.


Esses sistemas monitoram por completo não apenas voos de aviões militares na região, mas também da aviação civil, sendo capazes de detectar decolagens e aterrissagens no Aeroporto Internacional Ben Gurion, o maior de Israel, bem como as operações da força aérea israelense no Líbano e seus arredores.

Tudo isso, de acordo com o colunista, aumenta as chances de um conflito armado marítimo e terrestre entre Rússia e Israel.


Postar um comentário