Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Militares iraquianos libertam dos terroristas o centro de televisão em Mossul

Militares iraquianos libertaram do grupo terrorista Daesh (organização terrorista proibida na Rússia e em muitos outros países) o edifício do centro de TV e Rádio governamental, localizado na zona oeste de Mossul, informa o canal de TV Alsumaria, citando fontes militares. 


Sputnik

Conforme foi informado pela mídia, o centro de TV situa-se no bairro de Kokjali.


Exército iraquiano nos arredores de Mossul
Tropas iraquianas em Mossul © Sputnik/ Hikmet Durgun

A agência Reuters afirma que a libertação do centro de TV é considerada a primeira grande perda para os terroristas do Daesh, desde o início da operação. O centro era considerado pelos terroristas como um importante ponto estratégico.

Anteriormente, foi informado pelo exército do país que suas subdivisões antiterroristas entraram no distrito de Karama, na zona oeste da cidade, libertando totalmente o bairro de Kokjali. 


Em 16 de outubro de 2016, as Forças Armadas do Iraque, juntamente com outros grupos armados, que incluem as formações curdas peshmerga, iniciaram a ofensiva contra Mossul, uma das duas "capitais" do grupo terrorista Daesh.


Postar um comentário