Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Qual será resposta síria a novos mísseis 'inteligentes' dos EUA?

A cada declaração do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre seus "mísseis inteligentes", os sistemas de defesa antiaérea sírios terão sua própria resposta de mísseis, o que foi demonstrado pelo país em 14 de abril, assegurou à Sputnik o membro do Conselho Público junto ao Ministério da Defesa da Rússia, Igor Korotchenko.
Sputnik

Mais cedo, Sergei Rudskoy, chefe da Direção-Geral Operacional do Estado-Maior das Forças Armadas russas, disse aos jornalistas que os especialistas russos tinham detectado evidências de 22 mísseis terem atingido alvos, de um total de 105 anunciados pelos EUA, na sequência do ataque aéreo dos EUA e seus aliados.


"Os mísseis podem ser 'inteligentes', mas os sistemas da defesa antiaérea podem ser eficientes, por isso, para cada míssil 'astuto' haverá um míssil guiado, o que foi demonstrado pelo ótimo treinamento profissional dos soldados sírios. Nas declarações de Trump há muita publicidade, e para cada tweet de Trump sobre seus '…

Ministro da Defesa russo : fragata Admiral Grigorovich lançou mísseis contra alvos na Síria

Ministro da Defesa russo Sergei Shoigu informou na terça-feira (15) que a fragata Admiral Grigorovich realizou lançamento de mísseis de cruzeiro Kalibr contra alvos terroristas na Síria. 


Sputnik

"Nesta operação participa o navio Admiral Grigorovich. Hoje foram lançados mísseis de cruzeiro Kalibr contra alvos antecipadamente determinados", declarou Shoigu durante uma reunião entre o presidente russo Vladimir Putin e o comando das Forças Armadas da Rússia. 


Fragata russa Admiral Grigorovich durante missão
Fragata Admiral Grigorovich © Foto: Yantar Baltic Shipbuilding plant press service


"Hoje, às 10h30 e às 11h00 iniciámos uma operação de larga escala de ataque maciço contra as posições dos grupos terroristas Daesh e Frente al-Nusra nas províncias de Idlib e Homs", comunicou Shoigu.

Shoigu informou que as Forças Armadas da Rússia iniciaram uma operação ofensiva contra os terroristas nas províncias sírias de Idlib e Homs, com a participação do porta-aviões russo Admiral Kuznetsov.

Segundo Shoigu, estão sendo realizado ataques intensos contra fábricas dos terroristas na Síria. 


De acordo com o ministro, os terroristas na Síria intensificaram a produção de substâncias tóxicas e os militares russos lançam ataques contra essas estruturas. 

"Trata-se de fábricas, oficinas, onde se produz grande variedade de meios de destruição em massa", comunicou Shoigu ao presidente russo. 

"Encaminhamos um grande grupo dos nossos militares de defesa química e radiológica para definir o caráter das substâncias tóxicas usadas pelos terroristas. Durante a última semana, os extremistas as usaram duas vezes — provocando a hospitalização de 27 e a morte de 3 pessoas na primeira ocasião, e 30 feridos (forças do exército sírio) — na segunda", sublinhou Shoigu. 

Ao mesmo tempo Shoigu destacou que a Rússia continuará os ataques contra estruturas industriais e militares dos militantes na Síria. 

Sistema de defesa antiaérea S-300 está posicionado na Síria

Segundo Shoigu, o grupo militar russo na Síria foi reforçado com um sistema de defesa antiaérea S-300.

"Como sabem, há já muito tempo que temos o sistema S-400 operacional. Além disso, acrescentámos mais um para realizar a cobertura da área marítima, praticamente até Chipre", destacou o ministro russo. 


Em outubro o Ministério da Defesa russo anunciou ter enviado à Síria uma bateria de mísseis S-300 a fim de garantir a segurança da base marítima e aérea em Tartus e dos navios da unidade operacional da Marinha russa que se encontram na zona costeira. 

Antes o vice-presidente da Academia de Ciências Militares Sergei Modestov tinha dito que uma bateria de S-300 na Síria, bem como de S-400, iriam desempenhar um papel de contenção. 

"A instalação do sistema de mísseis na área do deslocamento do grupo naval russo no território da Síria persegue o objetivo evidente e bem claro — fazer a cobertura dos nossos militares contra eventuais meios de ataque aéreo do inimigo", informou Modestov. 

Rússia garante proteção marítima e aérea das bases de Tartus e Hmeymim

O presidente Vladimir Putin anunciou ter dado ordem de proteção aérea segura das forças russas em Tartus e Hmeymim, tendo Shoigu informado que esta orientação foi cumprida. Durante a reunião, Putin destacou que anteriormente ele tinha solicitado que o Estado-Maior russo adotasse uma série de medidas para a proteção segura e cobertura marítima e aérea das bases de Tartus e Hmeymim.

O ministro russo informou que o grupo naval das Forças Armadas russas está bem protegido, inclusive com complexos Bastion e sistemas de mísseis Pantsir. 


"Para lá já foram enviados os complexos Bastion, que passaram a cobrir quase toda a costa. Hoje, por meio desses sistemas, somos capazes de atingir alvos marítimos e terrestres à distância de 350 quilómetros no mar e 450 quilómetros no solo", revelou Shoigu.


Postar um comentário