Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Diferentes e parecidos: em que aspectos F-16 e MiG-29 se desafiam

Famoso, leve, universal e ainda relevante: há 40 anos, em 15 de agosto de 1978, a Força Aérea dos EUA adotou em serviço um caça multifuncional de quarta geração – o F-16.
Sputnik

No total, até 2018, mais de 4.500 aeronaves desse tipo foram construídas. Por sua produção em massa o "falcão de ataque", como os pilotos batizaram respeitosamente a aeronave, é um recorde mundial absoluto entre os caças leves. E por suas capacidades de voo e combate o F-16 figura ao mesmo nível dos principais concorrentes – os caças soviéticos e russos MiG-29.

Nesta matéria, a Sputnik apresenta as semelhanças e diferenças entre esses projetos, implementados quase simultaneamente.

Pequeno e armado

Na década de 1970, antes da introdução do caça pesado F-15 Eagle, a Força Aérea dos EUA percebeu que necessitava de um aparelho mais barato, simples e tecnologicamente avançado – um caça tático leve para obter superioridade aérea local. Cinco empresas norte-americanas apresentaram seus projetos. O Pentágono con…

Moscou: OTAN prefere guerra de informação ao diálogo sobre segurança com a Rússia

Ao invés de buscar um diálogo na área de segurança com Moscou, a OTAN prefere continuar com a guerra de informação, principalmente, no que tange a situação na Síria, declarou o representante permanente da Rússia junto à Aliança, Aleksandr Grushko. 

Sputnik

"Fiquei impressionado com o grau de histeria gerado, principalmente, pela mídia com relação à passagem do porta-aviões Admiral Kuznetsov pelo Canal da Mancha. Tudo isso, em geral, mostra que a guerra de informação está passando dos limites e começando a devorar os seus próprios filhos" – disse Grushko. 
Manifestantes com cartazes dizendo não à guerra, não à OTAN
Manifestação contra a guerra e contra a OTAN © AFP 2016/ Savo Prelevic
Ele lamentou, que, nessas condições, a adoção de medidas voltadas para reforçar a segurança parece ter perdido a sua importância.

"Pessoas esclarecidas devem entender, que a participação da Rússia na operação militar na Síria é um fator significativo, que tem um papel decisivo na condução de todo o processo para uma regulação pacífica… Enquanto a OTAN não abrir mão desses duplos padrões, certamente, será muito difícil falar em quaisquer ações, que possam realmente corroborar com a atenuação da situação e o início de um diálogo real sobre como nós devemos construir a nossa política militar, a construção militar, respeitando os interesses uns dos outros" – explicou o diplomata russo.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas