Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Novo sistema russo será capaz de abafar comunicações das forças dos EUA e da OTAN

O sistema estratégico de luta radioeletrônica que está sendo criado pela Rússia será capaz de abafar o sinal do Sistema Global de Comunicações de Altas Frequências dos EUA que coordena a ligação entre todos os órgãos de controle militar de Washington e de seus aliados da OTAN. 


Sputnik

O anúncio foi feito na segunda-feira (14) pela assessoria de imprensa do consórcio Tecnologias Radioeletrônicas (KRET), empresa-fabricante do sistema de luta radioeletrônica. 


Painel de processamento de dados no posto de comando russo
© Sputnik/ Sergey Pyatakov


Segundo Vladimir Mikheev, primeiro vice-diretor-geral da KRET, o referido sistema "é uma resposta assimétrica ao conceito centralizado de ações militares das Forças Armadas dos EUA e da OTAN com base no espaço de informação unido". 

Em outras palavras, esse conceito visa eliminar o campo informacional do inimigo e impedir que ele receba informações de comando.

"Primeiramente, o complexo (Murmansk-BN) é voltado contra os sistemas que funcionam nas faixas de frequência de ondas curtas, tais como Sistema Global de Comunicações de Altas Frequências dos EUA (High Frequency Global Communications System). Esse sistema providencia comunicações entre todos os órgãos de controle do Ministério da Defesa, aviões e navios dos EUA e de seus aliados da OTAN", diz-se no comunicado.

Segundo a KRET, "a comunicação por satélite não possui capacidade e sustentabilidade suficientes". Esse fato indica que o "funcionamento de sistemas que se encontram na zona de alcance dos complexos de luta radioeletrônica russos, isto é, postos de comando terrestres, navios ou aviões, será consideravelmente dificultado".


Postar um comentário