Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Netanyahu: Irã está criando exército contra Israel

O ministro das Relações Exteriores iraniano, Mohammad Javad Zarif, acusou Israel de violar o direito internacional e avisou Tel Aviv sobre as consequências caso o país continue seguindo a mesma linha anti-Irã. Em resposta, o primeiro-ministro israelense respondeu que a Guarda Revolucionária Iraniana pretende destruir o seu país.
Sputnik

Falando durante a sessão do Estado-Maior General das Forças de Defesa Israelenses (IDF, sigla em inglês), o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, criticou as recentes declarações de Teerã em relação a Tel Aviv.


"Hoje ouvi o que disse o chanceler iraniano, acusando Israel de violar direito internacional. Trata-se do ministro do Exterior de um país que envia drones militares contra Israel e mísseis contra a Arábia Saudita. Também ouvi palavras moderadas, e há um abismo enorme entre as palavras e as ações da Guarda Revolucionária [Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica] que está construindo um exército contra Israel com o objetivo declarado…

OTAN continua reforço militar e envia nova brigada à Europa

Os EUA vão deslocar uma nova brigada armada para a Europa, bem como fornecer equipamentos e produtos para suportar o futuro reforço caso ele seja necessário, comunicou o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, nesta sexta-feira (18). 


Sputnik

“Hoje em dia os EUA continuam a manifestar seu empenho na segurança [regional] europeia. O país vai enviar uma nova brigada armada para a Europa e entregar equipamentos e produtos necessários para o reforço militar se este for necessário”, disse Stoltenberg ao discursar em um evento na Fundação German Marshall dos EUA, em Bruxelas. 


Secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenbeg, chefiando a reunião dos ministros da Defesa dos países-membros da aliança em Bruxelas, em 27 de outubro de 2016
Jens Stoltenberg, Secretário-geral da OTAN © REUTERS/ Francois Lenoir


Desde 2014, a OTAN tem intensificado sua presença militar na Europa, especialmente nos países europeus vizinhos da Rússia, usando como pretexto a alegada intervenção de Moscou no conflito ucraniano.

Moscou tem várias vezes rechaçado estas acusações e advertido a OTAN de que o reforço militar junto às suas fronteiras é provocatório e está ameaçando o equilíbrio existente.


Postar um comentário