Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Única mulher a bordo do submarino argentino desaparecido é oficial pioneira

Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é a 'primeira submarinista' da Argentina. O ARA San Juan desapareceu com 44 tripulantes no Atlântico Sul.
G1

Única mulher no submarino militar argentino desaparecido com 44 tripulantes no Atlântico Sul, Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é descrita pela imprensa local como primeira oficial submarinista do país e da América do Sul. Ela ocupa o cargo de chefe de armas do ARA San Juan, que perdeu contato com a terra na sexta-feira (17).

Eliana nasceu em Oberá, na província de Misiones, no nordeste da Argentina, e só conheceu o mar aos 21 anos de idade, destaca o perfil do jornal "Clarín". Após se formar no ensino médio, ela se matriculou na Universidade de Misiones para fazer faculdade de Engenharia Industrial.

Duas tragédias familiares levaram Eliana a desistir do curso: a morte de um irmão, em um acidente de trânsito, e a morte da mãe, em decorrência de um problema cardíaco.

Em um perfil publicado em 2015 na revista "Viva", que …

Pentágono: libertação de Aleppo por forças de Assad não ajuda a combater Daesh

O Pentágono não acha que a libertação da cidade de Aleppo pelas tropas sírias contribua para o combate ao grupo terrorista Daesh, manifestou o representante oficial do Departamento de Defesa norte-americano, Peter Cook.


Sputnik


"Do nosso ponto de vista, tudo que fortalece o regime de [presidente sírio Bashar] Assad não desempenha um papel positivo nem nas tentativas de terminar a guerra síria, nem no estabelecimento da paz. De fato, é uma das razões para o Daesh ter emergido", sublinhou Cook durante uma das suas coletivas de imprensa. 


Resultado de imagem para peter cook pentagon spokesman
Peter Cook

O representante do Pentágono chamou a situação em Aleppo de tragédia e apelou "a todas as partes para que atinjam uma solução pacífica" da crise síria. Entretanto, Cook assinalou que os EUA "continuam dispostos a se focar na luta contra o Daesh". 


Na véspera foi comunicado que as tropas sírias tinham libertado os quarteirões leste de Aleppo. Centenas de militantes depuseram as armas e abandonaram a cidade, a maioria deles foi anistiada.


Postar um comentário