Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

Presidente da Ucrânia está convencido que Kiev retomará Crimeia e Donbass

Presidente ucraniano Pyotr Poroshenko acha que Kiev conseguirá retomar a Crimeia e Donbass.


Sputnik


"Permitam que eu não concorde com a frase de que nós perdemos os territórios, não os perdemos, o seu estatuto é — temporariamente ocupados. De certeza que vamos recuperá-los para a soberania ucraniana, sob a bandeira ucraniana… Nós vamos vencer esta guerra", anunciou Poroshenko na quinta-feira (27) durante um encontro com estudantes. 


Presidente ucraniano Pyotr Poroshenko examina a construção de fortificações na região de Donetsk
Presidente ucraniano Piotr Poroshenko © AP Photo/ Irina Gorbaseva

O presidente declarou que não há nenhum conflito interno na Ucrânia e acusou a Rússia de "agressão". 


A Crimeia se tornou novamente uma região russa após o referendo realizado na sequência da tensão política na Ucrânia em 2014. Mais de 95% dos moradores da península votaram a favor da reunificação com a Rússia. Por sua parte, Moscou garante que não tem qualquer envolvimento na crise interna ucraniana e que está totalmente interessado numa resolução pacífica do conflito no país vizinho.

Postar um comentário