Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Morte made in Brazil: conflitos no Oriente Médio alavancam exportação de armamento do país

Uma missão árabe chegou ao Brasil interessada na compra de cargueiros KC-390 fabricados pela Embraer. A visita é resultado do esforço do Grupo Parlamentar Brasil-Arábia Saudita, criado no início deste mês, para aproximar os dois países no campo de defesa militar.
Sputnik

O KC-390 vai substituir os Hércules C-130 da Força Aérea Brasileira (FAB), é o maior avião produzido na América e foi concebido como um jato militar de transporte, anunciado pela primeira vez na edição de 2007 da Latin America Aero & Defence (LAAD), no Rio de Janeiro. A produção do avião, com capacidade para 23 toneladas de carga, envolve parcerias com fornecedores de peças de Argentina, Portugal e República Tcheca. Com um custo unitário de US$ 85 milhões, o KC-390, em fase final de testes, tem recebido propostas de compra de vários países.



A compra do cargueiro, porém, é apenas um detalhe na exportação brasileira de armamentos não só para a Arábia Saudita, como também para vários países do Oriente Médio e do Norte d…

Presidente da Ucrânia está convencido que Kiev retomará Crimeia e Donbass

Presidente ucraniano Pyotr Poroshenko acha que Kiev conseguirá retomar a Crimeia e Donbass.


Sputnik


"Permitam que eu não concorde com a frase de que nós perdemos os territórios, não os perdemos, o seu estatuto é — temporariamente ocupados. De certeza que vamos recuperá-los para a soberania ucraniana, sob a bandeira ucraniana… Nós vamos vencer esta guerra", anunciou Poroshenko na quinta-feira (27) durante um encontro com estudantes. 


Presidente ucraniano Pyotr Poroshenko examina a construção de fortificações na região de Donetsk
Presidente ucraniano Piotr Poroshenko © AP Photo/ Irina Gorbaseva

O presidente declarou que não há nenhum conflito interno na Ucrânia e acusou a Rússia de "agressão". 


A Crimeia se tornou novamente uma região russa após o referendo realizado na sequência da tensão política na Ucrânia em 2014. Mais de 95% dos moradores da península votaram a favor da reunificação com a Rússia. Por sua parte, Moscou garante que não tem qualquer envolvimento na crise interna ucraniana e que está totalmente interessado numa resolução pacífica do conflito no país vizinho.

Postar um comentário