Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialista: exército sírio deteve 300 militares franceses de diversas patentes

O presidente Vladimir Putin, em conversa com o presidente sírio Bashar Assad, em Sochi, declarou que, devido ao sucesso da luta antiterrorista das forças sírias e ao início do processo político, as tropas estrangeiras deveriam se retirar do território da Síria.
Sputnik

"A declaração de Vladimir Putin durante seu encontro com Bashar Assad, sobre a necessidade da retirada dos contingentes estrangeiros da Síria, arruína os sonhos dos agressores, que contam com a tentativa de realizar seus objetivos na região através de mercenários criminosos", disse à Sputnik Árabe Akram al Shalli, analista da Gestão Síria de Crise e Guerras Preventivas.

"Nas mãos do exército sírio há oficiais dos serviços de inteligência dos EUA, Grã-Bretanha, países árabes e Israel. Por exemplo, só o número de militares franceses de diversos escalões é de 300 pessoas. Notamos tentativas de exercer pressão sobre o governo sírio, inclusive para libertar os militares estrangeiros presos. Mas esses sonhos não p…

'Radar dos EUA na República Tcheca significaria continuar escalando relações com a Rússia'

O primeiro-ministro da República Tcheca, Bohuslav Sobotka, criticou a ideia da instalação de um radar militar estadunidense no seu país.


Sputnik


Falando na televisão nacional, Sobotka comentou as palavras de Miroslava Nemcova, ex-presidente da câmara baixa do parlamento tcheco, que tinha aprovado a sugestão do ex-prefeito de Nova York, Rudy Juliani, de voltar a considerar a ideia de colocar um radar militar norte-americano em solo tcheco.


Radar norte-americano LOPAR (foto de arquito)
Radar norte-americano LOPAR © flickr.com/ Casey Bisson

Nemcova disse acreditar que Juliani é dos políticos cujas palavras são equilibradas e sérias, por isso ela ficaria feliz, afirmou, se o presidente tcheco, Milos Zeman, e o presidente eleito dos EUA, Donald Trump, assinassem o acordo de implantação desse radar no território da República Tcheca na Sala Oval da Casa Branca. 


Mas o premiê descartou tal possibilidade. 

"É uma ficção que não vai se tornar realidade. Eu vejo isso com maus olhos. Eu acredito que, no momento, os problemas de segurança que nós temos são diferentes", disse Sobotka.

A razão inicial para a eventual implantação de um radar norte-americano na República Tcheca era a ameaça do Irã, lembrou o primeiro-ministro. Mas a situação atual exclui esta ameaça, alegou.

Além disso, o chefe do governo tcheco quer que Donald Trump e Vladimir Putin se sentem a uma mesa para pôr fim à guerra na Síria. 


"Um radar significaria a continuação da escalação das relações com a Rússia, e nós precisamos de usar a janela de oportunidade que apareceu após a eleição de Donald Trump para que os EUA e a Rússia se sentem à mesa. Não há para a Europa questão mais importante do que pôr fim à guerra na Síria. Porque enquanto a guerra na Síria não terminar, enquanto o fluxo de migrantes não parar, o que podemos lhes oferecer? Os EUA têm uma influência considerável na situação na Síria, a Rússia tem uma influência considerável, e nós precisamos aproveitar isso", disse Sobotka.

Postar um comentário