Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Área militar do governo brasileiro demonstra desconforto com suspensão de investigação do caso Queiroz

Integrantes da área militar do governo demostraram desconforto com o pedido de suspensão da investigação para apurar movimentações financeiras de Fabricio Queiroz consideradas "atípicas" pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).
Por Gerson Camarotti | G1

A avaliação de auxiliares do presidente Jair Bolsonaro é que essa decisão tomada pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), só faz prolongar o desgaste provocado pelo caso.

O ministro Luiz Fux atendeu pedido do deputado estadual e senador eleito Flavio Bolsonaro (PSL-RJ), de quem Queiroz foi assessor. O Coaf apontou movimentação de R$ 1,2 milhão em uma conta bancária de Queiroz durante um ano sem que houvesse esclarecimento.

Para esses auxiliares, foi uma surpresa a solicitação feita por Flávio Bolsonaro para suspender as investigações.

“Ainda não há uma explicação convincente. Enquanto isso não acontecer, o desgaste desse caso vai continuar. Já está demorando demais”, comentou ao blog um auxilia…

'Radar dos EUA na República Tcheca significaria continuar escalando relações com a Rússia'

O primeiro-ministro da República Tcheca, Bohuslav Sobotka, criticou a ideia da instalação de um radar militar estadunidense no seu país.


Sputnik


Falando na televisão nacional, Sobotka comentou as palavras de Miroslava Nemcova, ex-presidente da câmara baixa do parlamento tcheco, que tinha aprovado a sugestão do ex-prefeito de Nova York, Rudy Juliani, de voltar a considerar a ideia de colocar um radar militar norte-americano em solo tcheco.


Radar norte-americano LOPAR (foto de arquito)
Radar norte-americano LOPAR © flickr.com/ Casey Bisson

Nemcova disse acreditar que Juliani é dos políticos cujas palavras são equilibradas e sérias, por isso ela ficaria feliz, afirmou, se o presidente tcheco, Milos Zeman, e o presidente eleito dos EUA, Donald Trump, assinassem o acordo de implantação desse radar no território da República Tcheca na Sala Oval da Casa Branca. 


Mas o premiê descartou tal possibilidade. 

"É uma ficção que não vai se tornar realidade. Eu vejo isso com maus olhos. Eu acredito que, no momento, os problemas de segurança que nós temos são diferentes", disse Sobotka.

A razão inicial para a eventual implantação de um radar norte-americano na República Tcheca era a ameaça do Irã, lembrou o primeiro-ministro. Mas a situação atual exclui esta ameaça, alegou.

Além disso, o chefe do governo tcheco quer que Donald Trump e Vladimir Putin se sentem a uma mesa para pôr fim à guerra na Síria. 


"Um radar significaria a continuação da escalação das relações com a Rússia, e nós precisamos de usar a janela de oportunidade que apareceu após a eleição de Donald Trump para que os EUA e a Rússia se sentem à mesa. Não há para a Europa questão mais importante do que pôr fim à guerra na Síria. Porque enquanto a guerra na Síria não terminar, enquanto o fluxo de migrantes não parar, o que podemos lhes oferecer? Os EUA têm uma influência considerável na situação na Síria, a Rússia tem uma influência considerável, e nós precisamos aproveitar isso", disse Sobotka.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas