Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Área militar do governo brasileiro demonstra desconforto com suspensão de investigação do caso Queiroz

Integrantes da área militar do governo demostraram desconforto com o pedido de suspensão da investigação para apurar movimentações financeiras de Fabricio Queiroz consideradas "atípicas" pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).
Por Gerson Camarotti | G1

A avaliação de auxiliares do presidente Jair Bolsonaro é que essa decisão tomada pelo ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), só faz prolongar o desgaste provocado pelo caso.

O ministro Luiz Fux atendeu pedido do deputado estadual e senador eleito Flavio Bolsonaro (PSL-RJ), de quem Queiroz foi assessor. O Coaf apontou movimentação de R$ 1,2 milhão em uma conta bancária de Queiroz durante um ano sem que houvesse esclarecimento.

Para esses auxiliares, foi uma surpresa a solicitação feita por Flávio Bolsonaro para suspender as investigações.

“Ainda não há uma explicação convincente. Enquanto isso não acontecer, o desgaste desse caso vai continuar. Já está demorando demais”, comentou ao blog um auxilia…

Rebeldes sírios usam gases tóxicos em novo ataque químico em Aleppo

Militantes lançaram um ataque com gases tóxicos perto do aeroporto internacional da Síria em Aleppo, segundo informa a Al Mayadeen neste domingo (13). 


Sputnik

De acordo com o canal de TV libanês, os rebeldes usaram bombas com gás venenoso durante um ataque de artilharia. Pelo menos 28 militares sírios teriam sido feridos.


Voluntários em simulação sobre como reagir a ataque químico em Aleppo (arquivo)
© AFP 2016/ JM LOPEZ


O ataque deste domingo é o terceiro com uso de armas químicas por parte de militantes nas últimas duas semanas. Na sexta-feira (11), o Ministério da Defesa russo disse que especialistas militares russos haviam encontrado provas de que grupos rebeldes em Aleppo tinham usado armas químicas, provavelmente cloro e fósforo branco.

O ministério acrescentou que enviaria amostras de solo e fragmentos de munições de artilharia encontrados em Aleppo para a Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ). 


No final de outubro, um ataque químico em Aleppo matou dois militares sírios e feriu dezenas de civis. 

Apesar dos numerosos relatos sobre o uso de armas químicas pelos militantes armados sírios, o Painel de Peritos do Mecanismo Conjunto de Investigação da OPAQ-ONU publicou recentemente um quarto relatório acusando o governo do presidente sírio, Bashar Assad de ter usado armas químicas no país entre 2014 e 2015. No sábado (12), o Ministério das Relações Exteriores da Rússia também lamentou a decisão da OPAQ.

Postar um comentário

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas