Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA confirmam linha estratégica de 'desmembramento da Síria', diz analista

Os EUA declararam que não querem restaurar as regiões na Síria que estão sob o controle de Damasco. O especialista Vladimir Fitin explica na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik o que busca Washington.
Sputnik

Os EUA não querem ajudar na reconstrução das regiões na Síria que ficam sob o controle do presidente sírio Bashar Assad, declarou um alto funcionário dos EUA após o primeiro dia do encontro dos ministros das Relações Exteriores do G7.


Em janeiro, o Departamento de Estado dos EUA afirmou que Washington não iria ajudar a Rússia, o Irã e Damasco oficial na restauração do país, enquanto a "transformação política" da Síria não se realizasse. Segundo declarou o assistente adjunto do secretário de Estado dos EUA para o Médio Oriente, David Satterfield, a condição da ajuda é a reforma constitucional e eleições sob os auspícios da ONU.

O analista do Instituto dos Estudos Estratégicos da Rússia, Vladimir Fitin, na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik comentou a decla…

Rebeldes sírios usam gases tóxicos em novo ataque químico em Aleppo

Militantes lançaram um ataque com gases tóxicos perto do aeroporto internacional da Síria em Aleppo, segundo informa a Al Mayadeen neste domingo (13). 


Sputnik

De acordo com o canal de TV libanês, os rebeldes usaram bombas com gás venenoso durante um ataque de artilharia. Pelo menos 28 militares sírios teriam sido feridos.


Voluntários em simulação sobre como reagir a ataque químico em Aleppo (arquivo)
© AFP 2016/ JM LOPEZ


O ataque deste domingo é o terceiro com uso de armas químicas por parte de militantes nas últimas duas semanas. Na sexta-feira (11), o Ministério da Defesa russo disse que especialistas militares russos haviam encontrado provas de que grupos rebeldes em Aleppo tinham usado armas químicas, provavelmente cloro e fósforo branco.

O ministério acrescentou que enviaria amostras de solo e fragmentos de munições de artilharia encontrados em Aleppo para a Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ). 


No final de outubro, um ataque químico em Aleppo matou dois militares sírios e feriu dezenas de civis. 

Apesar dos numerosos relatos sobre o uso de armas químicas pelos militantes armados sírios, o Painel de Peritos do Mecanismo Conjunto de Investigação da OPAQ-ONU publicou recentemente um quarto relatório acusando o governo do presidente sírio, Bashar Assad de ter usado armas químicas no país entre 2014 e 2015. No sábado (12), o Ministério das Relações Exteriores da Rússia também lamentou a decisão da OPAQ.

Postar um comentário