Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Exército sírio bombardeia terroristas restantes no sul do país (VIDEO)

O exército sírio retomou os ataques de artilharia maciços contra os terroristas restantes na região de Tulul al Safa no deserto de As-Suwayda, no sul do país, depois de eles terem violado a trégua, segundo uma fonte do Exército.
Sputnik

De acordo com uma fonte que falou com a Sputnik Árabe, na terça-feira (16), o Exército sírio e os terroristas que ocupam as colinas de Tulul al Safa firmaram um acordo de cessar-fogo, segundo o qual os combatentes da Frente al-Nusra (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) se comprometeram a entregar as armas depois de serem cercados e sem saída.


Contudo, na manhã da quarta-feira (17) os terroristas atacaram as unidades do Exército sírio. Por sua vez, os soldados repeliram o ataque com êxito e contra-atacaram. Como resultado, dezenas de militantes foram mortos ou feridos. O Exército resolveu retomar os ataques maciços com peças de artilharia apoiadas do ar, tendo como objetivo eliminar as forças terroristas restantes até a épo…

Revista americana avalia as chances do sistema russo S-500 contra mísseis e aviões dos EUA

Moscou está apostando nos novos mísseis interceptores S-500 para criar o escudo de defesa antiaérea da Rússia, diz o analista militar Sebastien Roblin, em artigo publicado pela revista The National Interest.


Sputnik


De acordo com o autor, a exemplo do sistema antimísseis americano THAAD, o S-500 usará o recurso da chamada interceptação cinética, que utiliza a energia cinética do projétil para acertar seus alvos. Além disso, segundo o especialista, com uma velocidade de voo de até 7 km por segundo, os mísseis desse novo sistema russo serão capazes de interceptar com facilidade quaisquer mísseis de cruzeiro de potenciais inimigos.


S-500 Vitiaz

O artigo destaca ainda, que, apesar das suposições de que os mísseis S-500 sejam muito eficientes contra aeronaves “invisíveis”, suas especificações, divulgadas até momento, indicam que o combate contra este tipo de aviação não está entre os principais objetivos destes sistemas.


“O grande alcance do S-500 faz dele uma arma ideal contra alvos maiores e dificilmente detectáveis. Identificar e atingir um bombardeiro a grande distância será uma tarefa difícil, no entanto, aviões com sistemas AWACS (Sistema Aéreo de Alerta e Controle) ou de guerra eletrônica correrão um risco muito maior e, provavelmente, serão forçados a operar fora do raio de alcance do S-500” – escreve o especialista.

Na sua opinião, o S-500 está sendo desenvolvido, antes de tudo, como um sistema de defesa antimísseis de longo alcance, podendo, inclusive ser usado como uma arma contra satélites.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas