Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Única mulher a bordo do submarino argentino desaparecido é oficial pioneira

Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é a 'primeira submarinista' da Argentina. O ARA San Juan desapareceu com 44 tripulantes no Atlântico Sul.
G1

Única mulher no submarino militar argentino desaparecido com 44 tripulantes no Atlântico Sul, Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é descrita pela imprensa local como primeira oficial submarinista do país e da América do Sul. Ela ocupa o cargo de chefe de armas do ARA San Juan, que perdeu contato com a terra na sexta-feira (17).

Eliana nasceu em Oberá, na província de Misiones, no nordeste da Argentina, e só conheceu o mar aos 21 anos de idade, destaca o perfil do jornal "Clarín". Após se formar no ensino médio, ela se matriculou na Universidade de Misiones para fazer faculdade de Engenharia Industrial.

Duas tragédias familiares levaram Eliana a desistir do curso: a morte de um irmão, em um acidente de trânsito, e a morte da mãe, em decorrência de um problema cardíaco.

Em um perfil publicado em 2015 na revista "Viva", que …

Terroristas não conseguem quebrar bloqueio perto de Damasco

Destacamentos de terroristas armados, que mantêm o controle da povoação de Khan al-Sheih, a sudoeste de Damasco, assediada pelas forças governamentais, tentaram romper o cerco, mas foram rechaçados, informou o jornal sírio Al-Watan citando suas próprias fontes.


Sputnik


Segundo essas fontes, os militantes, cujas vias de retirada em direção à fronteira jordaniana foram cortadas pelo exército, fizeram uma tentativa de quebrar o cerca em várias direções em simultâneo. O seu ataque foi acompanhado por fogo de artilharia. Entretanto, segundo o Al-Watan, nenhum dos terroristas conseguiu abandonar a cidade. As suas forças foram repelidas tendo sofrido baixas consideráveis. 


Subúrbio de Damasco que está sob o controle da Frente al-Nusra, Síria
Subúrbio de Damasco sob controle da Frente al-Nusra © Sputnik/ Ilya Pitalev

Na véspera, os combatentes do exército sírio descobriram uma rede de tuneis subterrâneos na área de Khan al-Sheih, cujo comprimento total atinge 700 metros. Eles eram usados pelos terroristas da Frente al-Nusra para guardar e transportar armas e munições para realizar sabotagens nos subúrbios sudoeste de Damasco. 


As forças governamentais continuam apertando o cerco ao redor da povoação de Khan al-Sheih (que fica a 26 km de Damasco) que durante muito tempo permaneceu um dos pontos de resistência dos militantes da Frente al-Nusra. Na segunda-feira (14), o exército destruiu postos avançados do inimigo ao leste da cidade.

O conflito na Síria continua desde março de 2011. Segundo os dados da ONU, cerca de 300 mil pessoas foram mortas no conflito.



Postar um comentário