Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA confirmam linha estratégica de 'desmembramento da Síria', diz analista

Os EUA declararam que não querem restaurar as regiões na Síria que estão sob o controle de Damasco. O especialista Vladimir Fitin explica na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik o que busca Washington.
Sputnik

Os EUA não querem ajudar na reconstrução das regiões na Síria que ficam sob o controle do presidente sírio Bashar Assad, declarou um alto funcionário dos EUA após o primeiro dia do encontro dos ministros das Relações Exteriores do G7.


Em janeiro, o Departamento de Estado dos EUA afirmou que Washington não iria ajudar a Rússia, o Irã e Damasco oficial na restauração do país, enquanto a "transformação política" da Síria não se realizasse. Segundo declarou o assistente adjunto do secretário de Estado dos EUA para o Médio Oriente, David Satterfield, a condição da ajuda é a reforma constitucional e eleições sob os auspícios da ONU.

O analista do Instituto dos Estudos Estratégicos da Rússia, Vladimir Fitin, na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik comentou a decla…

Todos os ataques aéreos russos na Síria 'são direcionados, proporcionados, verificados'

O vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia sublinhou que Moscou na Síria só conduz ataques aéreos localizados. 


Sputnik

A Rússia e os EUA não interromperam os contatos militares, que continuam em Genebra, disse o vice-chanceler russo Sergei Ryabkov nesta quarta-feira. 


Show Internacional de Aviação MAKS 2015
Sukhoi Su-34 © Sputnik/ Maksim Blinov


"No que se refere aos americanos, o trabalho continua não só através dos adidos militares em Moscou, mas também de forma direta. Os contatos militares não foram interrompidos, eles continuam, inclusive em Genebra, onde as delegações militares estão trabalhando", disse Ryabkov.

Questionado sobre se os nove membros do assim chamado formato de Lausana (Estados Unidos, o enviado da ONU e os países regionais), foram informados da retomada dos ataques aéreos na Síria, o diplomata russo contestou a caracterização destes últimos como "maciços".

"Todos os nossos ataques aéreos na Síria são direcionados, proporcionados, verificados. Colocar rótulos é a prática daqueles que, politicamente e de outras formas, se opõem à Rússia", enfatizou Ryabkov.


Postar um comentário