Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha da Argentina fala sobre localização do submarino ARA San Juan

Embarcação desaparecida há 1 ano foi localizada neste sábado a 907 metros de profundidade. Ainda não há previsão de início dos trabalhos de resgate. 'Não temos meios para resgatar o submarino', diz ministro.
Por G1

A Marinha da Argentina informou neste sábado (17) que o submarino ARA San Juan, que sumiu há 1 ano com 44 tripulantes, foi encontrado a 907 metros de profundidade em uma área de "visibilidade bastante reduzida", e que a embarcação sofreu uma "implosão" no fundo das águas do Oceano Atlântico.

Segundo Enrique Balbi, porta-voz da Marinha, a proa, a popa e a vela se desprenderam do submarino e estão localizadas em uma área de 80 a 100 metros. “Isso sugere que a implosão tenha ocorrido muito perto do fundo”, disse.

Segundo a Marinha, as imagens mostram que o casco do submarino permaneceu bastante intacto, apenas com algumas deformações, e que todas as outras partes se desprenderam. A implosão teria ocorrido em razão da pressão externa do mar ter superado …

Autoridades de Okinawa, Japão, têm de aceitar a presença norte-americana na ilha

O governador da prefeitura japonesa de Okinawa, Takeshi Onaga, aprovou a decisão do tribunal que permite às autoridades centrais do Japão continuar com a construção do novo aeródromo militar e deslocamento da base militar norte-americana de Futenma, informou a agência Kyodo, citando fontes anônimas.


Sputnik

Segundo a agência, é um passo decisivo para reiniciar trabalhos de construção suspensos no norte da ilha de Okinawa. Onaga, bem como a comunidade local, durante muito tempo se opôs à construção.


Aviões da Força Aérea F-22 Raptors e F-15 Eagles na base aérea de Kadena, Okinawa, Japão (foto de arquivo)
Caças norte-americanos F-15 e F-22 Raptor na base aérea de Kadena, em Okinawa, Japão © AP Photo/ Greg Baker

O secretário-geral do gabinete dos ministros do Japão, Yoshihide Suga, disse, em briefing da segunda-feira (26), que o governo central "está realizando preparos necessários" para reiniciar a construção, suspensa por decisão de Onaga neste ano.

Segundo a agência de notícias Kyodo, os trabalhos podem ser reiniciados nesta semana. 


O governador decidiu submeter-se à decisão do Tribunal Supremo que na semana passada reconheceu como ilegal a decisão de Onaga sobre anulação da construção do aeródromo e devolução do território aos EUA. Tal decisão foi tomada pelo antecessor Hirokazu Nakaima, mas Onaga anulou-a, exigindo a retirada da base de Futenma da cidade densamente povoada de Ginowan.

Yoshihide Suga informou que, na terça-feira (27), irá se encontrar com o governador Onaga para discutir a representação de Okinawa no orçamento nacional.

Mais cedo, tornou-se público que o Japão e os EUA atingiram o acordo sobre a base norte-americana na ilha de Okinawa. Os EUA prometeram devolver ao Japão partes do território usado pela base norte-americana. 

Apesar da devolução do terreno, 70% de todas as instalações militares dos EUA no Japão continuarão em Okinawa. Conforme os dados da administração de Okinawa, quase 26 mil soldados norte-americanos e 19 mil membros da família dos oficiais dos EUA estão instalados na ilha.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas