Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Única mulher a bordo do submarino argentino desaparecido é oficial pioneira

Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é a 'primeira submarinista' da Argentina. O ARA San Juan desapareceu com 44 tripulantes no Atlântico Sul.
G1

Única mulher no submarino militar argentino desaparecido com 44 tripulantes no Atlântico Sul, Eliana María Krawczyk, de 35 anos, é descrita pela imprensa local como primeira oficial submarinista do país e da América do Sul. Ela ocupa o cargo de chefe de armas do ARA San Juan, que perdeu contato com a terra na sexta-feira (17).

Eliana nasceu em Oberá, na província de Misiones, no nordeste da Argentina, e só conheceu o mar aos 21 anos de idade, destaca o perfil do jornal "Clarín". Após se formar no ensino médio, ela se matriculou na Universidade de Misiones para fazer faculdade de Engenharia Industrial.

Duas tragédias familiares levaram Eliana a desistir do curso: a morte de um irmão, em um acidente de trânsito, e a morte da mãe, em decorrência de um problema cardíaco.

Em um perfil publicado em 2015 na revista "Viva", que …

Chancelaria chinesa: ações dos EUA no mar do Sul da China ameaçam a soberania do país

As ações e pesquisas dos EUA no mar do Sul da China, nas águas costeiras perto da China, representam perigo para a soberania e segurança do país, informou na segunda-feira (19) a porta-voz da chancelaria chinesa, Hua Chunying.


Sputnik

Segundo o Pentágono, em 15 de dezembro, a noroeste da base na Baía de Subic nas Filipinas, a China deteve um drone submarino guiado dos EUA, guiado às águas internacionais do mar do Sul da China a partir do navio de pesquisa oceanográfica norte-americano, USNS Bowditch. Segundo os militares dos EUA, o aparelho estava realizando operações submarinas em conformidade com as normas internacionais.


Navio de pesquisa oceanográfica norte-americano USNS Bowditch
USNS Bowditch © REUTERS/ Courtesy U.S. Navy

Por sua vez, o Ministério da Defesa chinês anunciou que o aparelho não identificado foi detido a fim de evitar "ameaça a navios e pessoal que passam pela zona marítima". Mais tarde, o governo chinês declarou a intenção de devolver o drone aos EUA. 


"Os navios e aeronaves norte-americanos realizam missões de reconhecimento e pesquisas nas águas perto da China. Somos contra isso. Achamos que isso representa ameaça à soberania e à segurança da China", informou Chunying.

A porta-voz da chancelaria chinesa sublinhou que os militares da China e dos EUA estão discutindo o acontecido, reforçando que o incidente será resolvido de maneira correta.

Segundo informaram as autoridades dos EUA, o drone foi achado na quinta-feira (15) a cerca de cem quilômetros a noroeste da Baía de Subic (Filipinas), no momento em que o navio de pesquisa oceanográfica USNS Bowditch estava prestes a removê-lo do mar. O incidente causou uma reação forte por parte do presidente recém-eleito dos EUA, Donald Trump, que publicou um tweet: "China rouba drone de pesquisa da Marinha dos EUA em águas internacionais – tira-o da água e o leva para a China em um ato sem precedentes".


Postar um comentário