Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Cidade Al-Tal na região de Damasco passa para controle do exército sírio

O exército do governo sírio está controlando totalmente a cidade de Al-Tal, na província de Damasco, em que antes da guerra moravam mais de 60 mil pessoas. 


Sputnik

Mais de 500 terroristas do grupo Frente al-Nusra e mais de 1.500 membros das suas famílias foram transportados da cidade de Al-Tal para a cidade de Idlib, informou o Centro para a Reconciliação na Síria russo. 


Soldados do exército sírio em seus caminhões militares gritando lemas em apoio ao presidente sírio Bashar Assad, entrando em uma aldeia perto da cidade de Jisr al-Shughour, ao norte de Damasco, Síria (Arquivo)
Exército sírio © AP Photo/


O Centro para a Reconciliação destacou que "antes de partirem, eles entregaram ao exército do governo todas as armas pesadas e mais de 200 armas ligeiras e munições".

As autoridades sírias cederam 44 ônibus para a sua partida.

No total, durante a última semana mais de 2,5 mil rebeldes foram anistiados em várias regiões. Os rebeldes aproveitaram a anistia declarada pelo presidente sírio Bashar Assad, cessaram a resistência e durante as negociações proclamaram seu desejo de partir com as famílias para Idlib. 


Anteriormente, em 1° de dezembro, a cidade de Khan al-Shih, localizada no subúrbio de Damasco, e mais 13 povoados ao seu redor estão sob total controle das autoridades sírias.

Postar um comentário