Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Turquia acionará judicialmente os EUA, caso entregas dos F-35 sejam bloqueadas

Segundo o porta-voz do presidente turco, Ibrahim Kalin, a Turquia recorrerá a medidas jurídicas caso as entregas dos F-35 sejam bloqueadas pelos EUA.
Sputnik

Ibrahim Kalin citou para a mídia turca que "não é nada fácil rescindir este contrato, somos parte de um contrato multilateral, cumprimos com todas as exigências e pagamos, caso os EUA não cumpram, recorreremos à lei".

O Congresso americano decidiu recentemente suspender as entregas dos caças americanos de quinta geração F-35 à Turquia devido aos planos de Ancara de adquirir o sistema de defesa antiaérea russo S-400, além de ameaçá-la com sanções em diversas ocasiões, como citado em artigo da Sputnik Mundo.

O avançado sistema antiaéreo S-400 Triumph (SA-21 Growler, na classificação da OTAN) é capaz de abater alvos aéreos com tecnologia furtiva, mísseis de cruzeiro e mísseis balísticos táticos e táticos-operacionais, tem um alcance de até 400 km e pertence à geração 4+, sendo duas vezes mais eficaz que seus antecessores.

Os se…

Embaixador saudita nos EUA diz que bombardear o Iêmen é como 'bater na esposa' (vídeo)

Ativistas gravaram as declarações do diplomata, que havia sido questionado sobre o uso de bombas de fragmentação por parte da coalizão liderada pela Arábia Saudita contra os rebeldes iemenitas. 


Sputnik

O embaixador saudita nos Estados Unidos, príncipe Abdullah Al-Saud, provocou polêmica esta semana quando, questionado por ativistas sobre se seu país continuaria a usar bombas de fragmentação no Iêmen, comparou de forma jocosa a pergunta com o tratamento que, de acordo com ele, deve ser dado a a uma esposa, segundo relata o jornal The Intercept. 


Embaixador saudita nos Estados Unidos, príncipe Abdullah Al-Saud
Príncipe Embaixador saudita Abdullah Al-Saud | YouTube/Zaid Jilani


"É como se você me perguntasse: 'pararia de bater em sua mulher?'", respondeu o diplomata, rindo em coro com a comitiva que o acompanhava. 

Os comentários do embaixador saudita foram registrados no final de outubro em Washington, durante sua participação na Conferência Anual de Legisladores árabes-americanos, onde Al-Saud defendeu a atuação da coalizão saudita no Iêmen.

Desde 2014 o Iêmen está imerso em um conflito armado entre os rebeldes xiitas houthis e as forças leais ao presidente Abd Rabbuh Mansur Hadi, que fugiu para a Arábia Saudita após a tomada da capital, Sanaa, pelas forças rebeldes. A coalizão de países árabes liderados por Riad lançou uma intervenção militar no país vizinho em março de 2015 com ataques aéreos contra os houthis. 


A Arábia Saudita aceita que os maridos chicoteiem suas mulheres, e ainda hoje é um dos países mais repressivos do mundo em relação aos direitos femininos.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas