Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Adeus a tecnologias 'stealth': novo radar russo pode detectar aviões furtivos

Tecnologias russas capazes de detectar aviões furtivos do inimigo podem vir a fazer parte do sistema da defesa antiaérea unida da OTSC – Organização do Tratado de Segurança Coletiva, declarou o chefe do Estado-Maior Conjunto da aliança, Anatoly Sidorov.
Sputnik

Inovações russas capazes de desativar tecnologias furtivas do inimigo podem vir a ser usadas na criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, declarou militar, citado pelo jornal Rossiyskaya Gazeta. Sidorov comentou que essas inovações seriam eficazes tanto contra aviação do inimigo como contra ataques com mísseis.



O sistema Rezonans-NE funciona graças ao princípio de reflexão ressonante de ondas de rádio da superfície de aparelhos aéreos, facilitando vigilância de aeronaves e mísseis do inimigo, explicou Aleksandr Scherbinko, vice-diretor executivo da empresa de design Rezonans.

"Este modelo pode ser de grande interesse, levando em consideração criação do sistema de defesa antiaérea unida da OTSC, cuja inauguração est…

Engenheiros revelam como será novo destróier nuclear russo

Engenheiros russos concluíram a primeira etapa na criação do novo destróier furtivo da classe Líder, relatou o Rossiyskaya Gazeta. 

Sputnik

O membro da Comissão Militar Industrial da Rússia, Vladimir Pospelov, disse ao jornal Rossiyskaya Gazeta que "a imagem do navio já está definida". Ele acrescentou que um dos aspetos-chave do destróier é a sua "baixa visibilidade para os radares”. 
Destróier nuclear russo
Destroier nuclear russo © Foto: Courtesy photo
Falando na feira militar Exponaval 2016, realizada no Chile, Pospelov disse que o navio será equipado com um sistema de mísseis projetado para atacar com precisão alvos terrestres, navais e submarinos. 
"Ele será equipado com um complexo universal de detecção e fixação de alvos, sistemas de guerra eletrônica e equipamento hidroacústico para detecção de submarinos, minas e sabotadores", disse Pospelov.

Quanto à defesa do destróier, ela será composta de sistemas antimísseis de curto, médio e longo alcance. Ao mesmo tempo, o navio será quase invisível ao radar inimigo graças à estrutura do casco do navio e a materiais absorventes de radiação.

Além destas características, o destróier, que terá um deslocamento de 10.000 toneladas e atingirá uma velocidade de 30 nós, respeitará o meio ambiente. Anteriormente, foi relatado que o navio iria testar o sistema nuclear projetado para os futuros porta-aviões Shtorm (Tempestade, em russo).

Postar um comentário