Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Pyongyang: 3 porta-aviões perto da Coreia do Norte são uma ameaça de guerra nuclear

A ONU "fecha os olhos aos exercícios de guerra nuclear dos EUA, que estão empenhados em causar um desastre catastrófico para a humanidade", declarou o embaixador norte-coreano na ONU, Ja Song-nam.
Sputnik

As autoridades norte-coreanas classificaram na segunda (13) o deslocamento sem precedentes de 3 grupos de porta-aviões dos EUA para a zona da península da Coreia como uma "postura de ataque".


O representante norte-coreano permanente na ONU, Ja Song-nam, expressou em uma carta enviada ao secretário-geral da ONU o descontentamento do seu governo com os exercícios militares de Seul, Tóquio e Washington. Estes, segundo o diplomata, estão criando "a pior situação para a península da Coreia e seus arredores".

"Os EUA são os principais responsáveis por escalar as tensões e comprometer a paz", declarou Ja Song-nam.

Além da presença de 3 porta-aviões estadunidenses (Nimitz, Ronald Reagan e Theodore Roosevelt), Washington continua realizando voos de bombarde…

Exército do Iraque não confirma informações sobre ataque dos EUA em Mossul

O exército do Iraque não confirmou a informação sobre o ataque aéreo da aviação dos EUA em Mossul, onde se realizam as operações contra o Daesh (organização terrorista, proibida na Rússia), se diz no comunicado a que RIA Novosti teve acesso.


Sputnik


Anteriormente, várias mídias do Iraque e de outros países árabes divulgaram a informação de que a Força Aérea dos EUA teria alvejado por engano uma divisão das tropas governamentais iraquianas, provocando a morte de 90 militares iraquianos e 100 feridos. 


As forças iraquianas fazem o primeiro avanço dentro da cidade de Mossul na terceira semana de ofensiva
Tropas iraquianas em direção a Mossul © REUTERS/ Stringer

"Não há nenhumas indicações de que a coalizão tenha cometido algum erro no âmbito da operação na província de Ninawa" se diz no comunicado. 


Os militares iraquianos apelaram também aos jornalistas que usem informações fidedignas. 

Para além disso, no comunicado também foi destacado que a coalizão "ajudou muito às operações" e continua prestando apoio. 

Em 17 de outubro de 2016, as Forças Armadas do Iraque, juntamente com outros grupos armados, que incluem as formações curdas peshmerga, iniciaram a ofensiva contra Mossul, uma das duas "capitais" do grupo terrorista Daesh.

Postar um comentário