Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

O que acontece quando desaparece um submarino como o argentino ARA San Juan

As autoridades argentinas continuam com as buscas para tentar localizar o submarino ARA San Juan, que estava em uma missão de treinamento e desapareceu na última quarta com 44 tripulantes a bordo.
BBC Brasil


A Marinha argentina revelou que, no último contato, o subcomandante afirmou que a embarcação apresentava um curto-circuito no sistema de baterias.


O submarino fazia o trajeto entre o Ushuaia, no sul do país, e a base naval de Mar del Plata, mais ao norte, quando deixou de se comunicar e sumiu dos radares. Segundo a Marinha, a tripulação teria comida e oxigênio para mais dois dias.

O governo argentino conta com a ajuda de vários países para realizar as buscas, incluindo Brasil e Estados Unidos.

Mas quais são principais dificuldades em uma operação para localizar um submarino? A BBC tenta responder a esta e a outras perguntas sobre o tema.

Por que submarinos não podem ser detectados?


Os submarinos são construídos para serem difíceis de se encontrar. O papel deles é participar, com frequênc…

Forças ucranianas atacam várias posições da milícia de Lugansk ao mesmo tempo

Forças ucranianas realizam ataques simultâneos contra posições da milícia da autoproclamada República Popular de Lugansk (LNR), disse à RIA Novosti a assessoria de imprensa da Polícia Popular da LNR. 


Sputnik

O exército ucraniano está lançando fogo a partir de canhões, lança-granadas, morteiros e de armas de atiradores. Durante as últimas 24 horas, foram realizados sete bombardeios contra posições da Polícia Popular da LNR. 

Um militar ucraniano vestindo uma máscara que descreve um crânio, em 23 de setembro de 2014, no portador de veículo blindado em um subúrbio da cidade oriental Debaltseve na região de Donetsk
Militar ucraniano © AFP 2016/ Anatolii Stepanov

"A partir das 11h00 [horário local; 06h00 horário de Brasília], a situação se intensificou. Na direção de Debaltsevo, o inimigo continua atacando", segundo depoimento da polícia.

Anteriormente, a Polícia Popular informou sobre o fracasso das tentativas dos militares ucranianos na ruptura da defesa da autoproclamada República Popular de Lugansk, mais precisamente na região de Kalinovka. Segundo autoridades da LNR, a batalha resultou na morte de dez oficiais das Forças Armadas da Ucrânia; mais de vinte saíram feridos. As milícias também sofreram perdas: duas pessoas ficaram feridas e duas estão desaparecidas.

Em abril de 2014, as autoridades da Ucrânia iniciaram operação militar contra as autoproclamadas LNR e DNR (República Popular de Donetsk) que declararam independência após reviravolta estatal na Ucrânia, em fevereiro de 2014. De acordo com os últimos dados da ONU, o número de vítimas dos conflitos equivale a dez mil. 

Segundo o Ministério da Defesa ucraniano, em resultado aos ataques em Donbass, cinco oficiais de segurança foram mortos e 16 ficaram feridos ontem (18).


Postar um comentário