Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Especialistas: aumenta o risco de guerra entre os EUA, a Rússia e a China

O desenvolvimento de novos tipos de armas nucleares de "baixa potência" aumenta o risco de uma guerra entre os EUA, a Rússia e a China, segundo especialistas consultados por Newsweek.
Sputnik

O Pentágono está desenvolvendo dois novos tipos de armas nucleares, para acompanhar os progressos da Rússia e da China nesse terreno. Os especialistas tiveram acesso às minutas do projeto de doutrina nuclear norte-americana, que acusa Moscou e Pequim de ampliar as suas capacidades nucleares. 


Esse documento afirma a necessidade de "desenvolver e incorporar novos meios de contenção e de defesa dos objetivos, quando a contenção não funciona".

Entre outras medidas, o projeto revela a intenção de desenvolver ogivas nucleares de baixa potência para mísseis Trident, utilizados por submarinos da classe Ohio. Além disso, o departamento de Defesa dos EUA planeja desenvolver um míssil nuclear de baixa potência para suas bases marítimas.

O Pentágono considera o atual arsenal nuclear a disposi…

Japão vai monitorar de perto a movimentação do único porta-aviões chinês

O Japão vai monitorar de perto o porta-aviões chinês, Liaoning, detectado no Pacífico ao passar entre as ilhas japonesas de Okinawa e Mijako no mar do Leste da China, informou o alto representante do governo japonês Yoshihide Suga na segunda-feira (26). 


Sputnik

O porta-aviões faz parte do grupo naval que segue a oeste do Pacífico. 

Porta-aviões chinês Liaoning
Porta-aviões chinês Liaoning © Foto: Wikipedia/Voice of America

Segundo a emissora NHK, Suga informou aos jornalistas que a presença do porta-aviões chinês nessa região demonstra as capacidades navais avançadas da China e que o governo japonês está monitorando atenciosamente a sua movimentação.

Os oficiais da Força Marítima de Autodefesa do Japão, citados pela NHK, afirmam que pela primeira vez a China está realizando exercícios de deslocamento global no Pacífico.

Anteriormente, em agosto, a televisão chinesa informou sobre "capacidades crescentes de combate" do seu porta-aviões Liaoning (CV-16), afirmando que a plataforma pode transportar até 20 caças de combate, reforçando potências navais e aéreas de Pequim no Pacífico no contexto das tensões crescentes. 

O único porta-aviões chinês é uma versão renovada do modelo soviético cuja construção foi iniciada na Ucrânia nos anos 80. Posteriormente, o navio foi vendido à China e comissionado em 2012.


Postar um comentário