Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA confirmam linha estratégica de 'desmembramento da Síria', diz analista

Os EUA declararam que não querem restaurar as regiões na Síria que estão sob o controle de Damasco. O especialista Vladimir Fitin explica na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik o que busca Washington.
Sputnik

Os EUA não querem ajudar na reconstrução das regiões na Síria que ficam sob o controle do presidente sírio Bashar Assad, declarou um alto funcionário dos EUA após o primeiro dia do encontro dos ministros das Relações Exteriores do G7.


Em janeiro, o Departamento de Estado dos EUA afirmou que Washington não iria ajudar a Rússia, o Irã e Damasco oficial na restauração do país, enquanto a "transformação política" da Síria não se realizasse. Segundo declarou o assistente adjunto do secretário de Estado dos EUA para o Médio Oriente, David Satterfield, a condição da ajuda é a reforma constitucional e eleições sob os auspícios da ONU.

O analista do Instituto dos Estudos Estratégicos da Rússia, Vladimir Fitin, na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik comentou a decla…

Kremlin comenta ofensiva do Daesh contra Palmira

Os eventos que estão acontecendo em torno de Palmira provam mais uma vez que a ameaça do Daesh [organização terrorista proibida na Rússia] é muito séria, afirmou o porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov, respondendo ao pedido para comentar a conquista da cidade síria pelos terroristas. 


Sputnik

"Nós lamentamos que ainda não tenhamos conseguido neutralizar essas ofensivas tão ativas", disse Peskov, declarando também que a Rússia irá continuar combatendo o terrorismo internacional e ajudando as Forças Armadas da Síria.


Instrutores russos ensinam soldados sírios a trabalhar com busca de explosivos (foto de arquivo)
Instrutores russos ensinando militares sírios a trabalhar com busca de explosivos © Sputnik/ Maksim Blinov


Além disso, ele apontou que até hoje ainda não há atividades coordenadas e colaboração real com outros países, especialmente com os EUA. "Tal colaboração nos permitiria evitar com sucesso esses ataques terroristas", acrescentou Peskov aos jornalistas.

Ele adicionou que o "desalojamento" dos terroristas do Iraque resulta em sua ofensiva na Síria. 


Antes, a fonte que conhece bem a situação atual, informou à RIA Novosti que os civis foram evacuados de Palmira, o exército governamental está efetuando combates ferozes nos arredores contra os militantes do Daesh que entraram de novo na cidade.

Segundo dados do Centro para a Reconciliação na Síria russo, os militantes deslocaram forças significativas da região de Raqqa para Palmira, onde na semana passada os grupos controlados pelos EUA e pela coalisão internacional pararam as operações militares ativas contra os terroristas. Além disso, o Daesh deslocou grandes reservas em pessoal e equipamento blindado da região de Deir ez-Zor para Palmira. De acordo com o centro, antes a inteligência revelou o deslocamento de cerca de 5.000 militantes de Mossul iraquiano para Raqqa e Deir ez-Zor.

Postar um comentário