Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Exército sírio bombardeia terroristas restantes no sul do país (VIDEO)

O exército sírio retomou os ataques de artilharia maciços contra os terroristas restantes na região de Tulul al Safa no deserto de As-Suwayda, no sul do país, depois de eles terem violado a trégua, segundo uma fonte do Exército.
Sputnik

De acordo com uma fonte que falou com a Sputnik Árabe, na terça-feira (16), o Exército sírio e os terroristas que ocupam as colinas de Tulul al Safa firmaram um acordo de cessar-fogo, segundo o qual os combatentes da Frente al-Nusra (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) se comprometeram a entregar as armas depois de serem cercados e sem saída.


Contudo, na manhã da quarta-feira (17) os terroristas atacaram as unidades do Exército sírio. Por sua vez, os soldados repeliram o ataque com êxito e contra-atacaram. Como resultado, dezenas de militantes foram mortos ou feridos. O Exército resolveu retomar os ataques maciços com peças de artilharia apoiadas do ar, tendo como objetivo eliminar as forças terroristas restantes até a épo…

Líder republicano no Senado apoia sanções e diz que Rússia não é país amigo dos EUA

O líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell, afirmou que a Rússia tem expandido suas zonas de influência em todo o mundo ao longo dos últimos 8 anos da presidência de Obama e afirmou que ela não é um país amigo dos EUA.


Sputnik


"Os russos não são nossos amigos. E, evidentemente, a administração Obama ainda não os dissuadiu de tentar violar os nossos sistemas de cibersegurança ou perseguir os nossos diplomatas em Moscou", frisou McConnell nesta quinta-feira (29), algumas horas após a administração Obama ter imposto novas sanções contra a Rússia e expulsado 35 diplomatas russos. 

Senado dos EUA
Senado dos EUA © flickr.com/ Phil Roeder

McConnell, um dos principais líderes do Partido Republicano, ao qual o presidente Trump pertence, acusou a atual administração Obama de se esforçar por reconstruir as relações com a Rússia, enquanto Moscou reforça seu poderio no mundo. 

"Ao longo de 8 anos, a administração Obama tem tentado reiniciar as relações com a Rússia e se comportado de modo passivo, enquanto a Rússia tem vindo a aumentar a sua área de influência, intervindo na Crimeia, no Leste da Ucrânia, na Síria e tentado intimidar os países do Báltico", afirmou o republicano. 

O senador realçou que impor sanções contra a alegada ação de inteligência russa nos EUA é um primeiro passo positivo, mas que demorou demasiado tempo. 

As autoridades russas têm repetidamente negado as acusações dos EUA e enfatizado que Moscou não interferiu nas presidenciais norte-americanas. 

As medidas penalizantes de Obama contra a Rússia incluem a expulsão de 35 diplomatas russos e o encerramento de duas casas de campo diplomáticas, bem como sanções contra 6 indivíduos e 5 entidades oficiais.

Postar um comentário

Postagens mais visitadas