Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares norte-americanos acreditam que EUA entrarão em guerra

Quase metade do Exército dos EUA está confiante de que durante o ano de 2019 seu país estará envolvido em um grave conflito armado, de acordo com o Military Times.
Sputnik

Segundo uma pesquisa recente, 46% dos participantes não duvidam que o confronto militar ocorrerá no próximo ano.


A título de comparação, em 2017, apenas 5% dos militares dos EUA esperavam um conflito armado, enquanto 50% descartaram um cenário de guerra e 4% não responderam.

Quanto aos inimigos mais prováveis, os soldados dos EUA mencionaram principalmente a Rússia e a China. Respectivamente, 72% e 69% dos entrevistados escolheram esses dois países.

Além disso, cerca de 57% estão preocupados com a presença de extremistas islâmicos nos Estados Unidos. Em particular, 48% destacaram uma possível ameaça por parte dos grupos terroristas Daesh e Al Qaeda (proibidos na Rússia e em outros países).

Mais 8,5 mil civis deixaram bairros controlados por terroristas em Aleppo

Cerca de 8,5 mil pessoas, entre elas 2,9 mil crianças, conseguiram deixar os bairros controlados por terroristas em Aleppo nas últimas 24 horas, com auxílio de militares russos, informou nesta sexta-feira o Centro para a Reconciliação na Síria russo.


Sputnik


“Somente nas últimas 24 horas, 8 mil e 461 civis, entre estes 2 mil e 934 crianças, deixaram os bairros controlados por militantes terroristas em Aleppo, com auxílio do Centro para a Reconciliação na Síria russo”, informou o comunicado da organização. 


Crianças no corredor humanitário na parte leste de Aleppo, na Síria
Crianças no corredor humanitário em Aleppo, Síria © Sputnik/ Mikhael Alaeddin

O centro russo continua ajudando os moradores locais que tentam fugir dos bairros orientais de Aleppo, controlados por terroristas, destaca o informe. Além disso, 14 jihadistas depuseram as armas, se transferiram para Aleppo ocidental e foram anistiados. 


O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, informou na noite desta quinta-feira que as atividades do exército sírio na Aleppo oriental foram temporariamente suspensas para a realização da operação de retirada de civis. 

Durante as últimas três semanas, as tropas sírias e milícias populares liberaram mais de 80% da Aleppo oriental, ocupada por terroristas desde 2012. No sábado, as tropas do governo romperam a defesa dos jihadistas no centro histórico da cidade, obrigando os terroristas a recuar para os bairros do sul. Agora esta é a última zona de resistência dos jihadistas. Segundo Damasco, agora os radicais controlam, no máximo, de 10 a 12 quilômetros quadrados da Aleppo oriental.


Postar um comentário

Postagens mais visitadas