Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA confirmam linha estratégica de 'desmembramento da Síria', diz analista

Os EUA declararam que não querem restaurar as regiões na Síria que estão sob o controle de Damasco. O especialista Vladimir Fitin explica na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik o que busca Washington.
Sputnik

Os EUA não querem ajudar na reconstrução das regiões na Síria que ficam sob o controle do presidente sírio Bashar Assad, declarou um alto funcionário dos EUA após o primeiro dia do encontro dos ministros das Relações Exteriores do G7.


Em janeiro, o Departamento de Estado dos EUA afirmou que Washington não iria ajudar a Rússia, o Irã e Damasco oficial na restauração do país, enquanto a "transformação política" da Síria não se realizasse. Segundo declarou o assistente adjunto do secretário de Estado dos EUA para o Médio Oriente, David Satterfield, a condição da ajuda é a reforma constitucional e eleições sob os auspícios da ONU.

O analista do Instituto dos Estudos Estratégicos da Rússia, Vladimir Fitin, na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik comentou a decla…

Ministério da Defesa russo: exército sírio controla 96% do território de Aleppo

O exército sírio estabeleceu controle de 96% do território de Aleppo, informou o porta-voz do Ministério da Defesa russo, general-major Igor Konashenkov, durante um briefing. 


Sputnik

A área total de bairros na zona leste da cidade, onde permanecem os militantes, não supera 8,5 quilômetros quadrados. 


Um soldado russo se aproxima de um veículo militar no bairro de Hanono, controlado por forças governamentais de Assad, em Aleppo, na Síria, em 4 de dezembro de 2016
Tropas sírias controlam Aleppo © REUTERS/ Omar Sanadiki


Segundo ele, nas últimas 24 horas, as forças do governo sírio libertaram outros cinco bairros de Aleppo oriental: Karim-Nazakha, Hara-Ash-Shadjadin, Seikh Saeed, Karim Hum e Al-Makamat.

Ao mesmo tempo, Konashenkov informou que, até o momento, 2.215 militantes – controlados pelo governo sírio, entregaram suas armas. De acordo com a decisão tomada pelo presidente sírio Bashar Assad, 2.137 foram inocentados.

Enquanto isso, os militares do Centro internacional de desminagem continuam desativando minas nos bairros de Aleppo oriental, libertados de militantes. 


"Até agora, os nossos militares desminaram mais de 31 hectares do terreno urbano, 18 quilômetros de rodovias, detectaram e neutralizaram 1389 artefatos explosivos", acrescentou Konashenkov. 

Segundo o porta-voz russo, 37 propriedades sociais de Aleppo foram completamente limpos de objetos explosivos. 

Uma parte dessas propriedades — hospitais, mesquitas e escolas – foi usada por militantes como postos de controle, depósitos de munições e fábricas de produção de mísseis caseiros.

Postar um comentário